Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Tite se esquiva sobre pedido de demissão após goleada da Portuguesa

Helder Júnior São Paulo (SP)

Tite ainda se mostra incomodado com a sua instabilidade profissional. Às vésperas de decidir uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil, contra o Grêmio, o técnico foi evasivo ao falar sobre a postura que teve após o Corinthians ser goleado por 4 a 0 pela Portuguesa, no mês passado. Ele deu a entender que entregou o seu cargo à diretoria e foi convencido a permanecer no clube, conforme se especulava.

Antes de o Corinthians vencer o Criciúma por 1 a 0 e aliviar a pressão sobre o seu comandante, Tite havia avisado que não seria “covarde” de pedir demissão até o final do ano. “Mas as declarações devem ser analisadas no seu devido tempo. Não confundam a cronologia das coisas. Falo verdades em todos os momentos”, ressalvou. Ou seja, a postura adotada a partir do último jogo não valia à época da humilhante derrota para a Portuguesa, quando ele evitou entrevistas e acabou defendido por jogadores como o atacante Emerson e o lateral esquerdo Fábio Santos.

Apesar da constatação, Tite continuou misterioso sobre o assunto. “Façam as suas interpretações. Só digo uma coisa: posso omitir, mas nunca mentir”, bradou o treinador, justificando o gesto de não confirmar o pedido de demissão. “Essas informações são do Corinthians. Pertencem ao clube. Não tenho o direito de colocar isso para fora. Na hierarquia, estou abaixo da diretoria.”

Djalma Vassão/Gazeta Press
Com segredos guardados para um livro, Tite ainda se incomoda com a sua instabilidade profissional
Campeão paulista, brasileiro, continental e mundial pelo Corinthians, Tite já viveu outros períodos turbulentos no Parque São Jorge. Quando o time foi eliminado de forma vexatória da pré-Libertadores pelo modesto Tolima, por exemplo, ele só não terminou demitido porque o então presidente Andrés Sanchez não quis.

Com tantas alegrias e tristezas acumuladas, Tite já até sabe onde finalmente expor os segredos de sua passagem pelo Corinthians. “Talvez em um livro”, sorriu o técnico, com contrato válido até o final do ano e novamente em xeque na noite desta quarta-feira, contra o Grêmio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade