Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Tite se recusa a pedir demissão em meio à crise: “Não sou covarde”

Helder Júnior Itu (SP)

Tite só deixará o Corinthians antes de o Campeonato Brasileiro acabar se a diretoria desejar. Nesta sexta-feira, um dia após quase ser dispensado pelo clube, o técnico adotou uma expressão sisuda para avisar que não pedirá demissão em meio à crise pela escassez de gols e de vitórias no final de temporada.

“Pedir para sair neste momento e até o final do campeonato seria coisa de covarde. E eu não sou covarde”, bradou Tite, que adotaria outra postura caso as cobranças fossem menos intensas. “Se a gente estivesse em uma situação mais tranquila na tabela, até poderia acontecer. Mas haveria um símbolo de covardia estampado na minha testa se pedisse para sair agora. Posso ter o símbolo da incompetência momentânea marcado na testa, mas não o da covardia”, continuou a discursar.

Para encarar com coragem a turbulência que jogou o Corinthians para a 13ª colocação do Campeonato Brasileiro, próximo da zona de rebaixamento, Tite adotou uma postura mais rígida. Ele gritou bastante com os seus comandados no último treinamento antes da partida contra o Criciúma, nesta noite, mas negou estar à caça de culpados.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Tite ficou bastante exaltado depois de quase perder o emprego de técnico do Corinthians
“Quando o Corinthians vence ou perde, é por causa do conjunto. O momento de dificuldade é de responsabilidade de todos, inclusive do técnico, que assume uma parcela maior disso. Existe todo um contexto. ‘É nóis’ quando ganha, e ‘é nóis’ quando perde”, disse o gaúcho, utilizando uma gíria paulista e garantindo que a diretoria também não está insatisfeita com ninguém em especial. “A coisa é com todos nós.”

Por mais que o técnico tente generalizar, inevitavelmente os maiores problemas recaem sobre ele. Tite, e não os seus jogadores, era o alvo da longa reunião que a diretoria teve para discutir o que ocorreu com o time campeão mundial, após a derrota por 1 a 0 para o Grêmio. “Foram muitas notícias, e a diretoria já esclareceu a situação. Só quero estar em paz comigo mesmo para realizar o melhor trabalho possível. Ontem, com tantas notícias, eu mesmo não sabia o que dizer para a minha família”, lembrou, com um sorriso amarelo.

Com contrato válido até o final do ano, Tite pode estar bem perto de encerrar uma trajetória bastante vitoriosa no Corinthians, com direito a títulos nacional, continental e mundial, de uma forma ruim. “Mas, se sair nessa situação, será com o rótulo de tudo o que conquistei e também com o da 13ª colocação do Campeonato Brasileiro ou com qualquer outra”, concluiu o ainda comandante corintiano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade