Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

WTorre defende contrato e fala em “quantia bilionária” ao Verdão

São Paulo (SP)

A disputa entre WTorre e Palmeiras parece ainda estar longe de um fim. Depois da troca de farpas entre os dois lados, o presidente da construtora, Walter Torre, voltou a se manifestar sobre o estádio alviverde nesta quinta-feira, desta vez por meio do Twitter, e alegou que o contrato é bom para o clube.

“A arena do Palmeiras já sofreu outros ataques e mostramos sempre que esse é o melhor dos contratos de clubes firmados para a construção de arena. A casa do Palmeiras será de longe a melhor arena multiuso do País e vai gerar recursos para a montagem de um time muito forte”, escreveu o empresário.

O impasse entre a construtura e o presidente palmeirense Paulo Nobre se refere à comercialização das cadeiras do estádio. A empresa alega ter direito a todas, enquanto o Verdão entende que apenas uma parte deve ficar com a parceira. Em meio à disputa, Walter Torre diz haver pessoas que não querem ver o estádio pronto.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A relação entre Walter Torre e Paulo Nobre está complicada, com um impasse entre as partes sobre arena
“Mais uma vez, o grupo que não quer a nova arena do Palmeiras voltou a agir. A arena é de todos os que querem o melhor para o Palmeiras, e a WTorre tem a obrigação de que ela seja entregue”, acrescentou.

Os mandatários da empresa e do Palmeiras divergiram publicamente no início desta semana, mas Torre alega que mostrou a Nobre recentemente um estudo para aumentar os ganhos do Verdão com o estádio.

“Vamos arcar com todos os custos de construção e de operação, mas o projeto da arena só faz sentido com um Palmeiras forte. Por isso, entregamos a Paulo Nobre na semana passada proposta para ampliar ainda mais a arrecadação do clube com a arena”, acrescentou.

Em um contrato válido por 30 anos, Torre diz que os ganhos do clube serão altos. “Além da quantia bilionária que o Palmeiras receberá pela operação da arena, ele deixa de gastar com custos de manutenção e operação da arena. O Palmeiras vinha gastando 10 milhões nesta manutenção, agora a WTorre é que se encarregará. Sobrando mais dinheiro ainda para os jogadores”, completou.

Se o impasse não for resolvido pelos dois lados de forma amigável, a divisão das cadeiras deve ser determinada por uma câmara de arbitragem, que definiria quem está correto na discussão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade