Ginástica/Mundial da Antuérpia - ( - Atualizado )

Zanetti aumenta treinos em outros aparelhos para ajudar equipe olímpica

André Sender São Caetano do Sul (SP)

Campeão mundial e olímpico nas argolas, o ginasta brasileiro Arthur Zanetti deve mudar seus treinos a partir deste ano. O paulista intensificará seu treinamento no solo, no salto e também nas barras paralelas para tentar ajudar a equipe brasileira, que busca a partir de 2014 uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016.

No Mundial de Ginástica da China da próxima temporada, a equipe nacional precisa ficar entre as 24 melhores colocadas para continuar lutando por uma das 12 vagas na competição por times no Rio-2016. Em Londres-2012, quando Zanetti foi ouro nas argolas, o País não obteve classificação.

“A partir deste ano já tenho que dar uma ênfase maior para o solo, para o salto e estou voltando a fazer paralelas para ajudar a equipe ao máximo. Quanto mais nota eu tirar, melhor para a equipe. Lógico que não é nada para ser finalista de Mundial um dia, isto está fora de alcance. É mais para ajudar a equipe ao máximo”, explicou o ginasta.

Neste fim de semana, Arthur Zanetti se sagrou campeão das argolas do Campeonato Mundial da Antuérpia, na Bélgica. Na competição, apenas individual, a delegação brasileira ainda foi composta por Sergio Sasaki, Arthur Nory, Diego Hypolito, Francisco Barreto e Péricles Silva.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Arthur Zanetti retornou ao Brasil com a medalha de ouro das argolas do Mundial da Antuérpia

Sasaki foi o quinto colocado no indivual geral, prova que também contou com a participação na final de Arthur Nory. Ele ainda avançou às finais do salto, ao lado de Diego Hypolito, que competiu também pela medalha no solo. Francisco Barreto, nas barras paralelas e barra fixa, e Péricles Silva, no cavalo com alças, ficaram fora da final.

“Nesse Mundial, a Seleção já teve um foco na equipe. Levamos dois atletas para o individual geral e um para cada aparelho. O Arthur nas argolas, o Diego fez solo e salto, o Péricles fez cavalo com alças e o Francisco fez barras paralelas e fixa. Levamos um grupo de atletas já pensando na montagem de uma nova equipe”, afirmou o técnico Marcos Goto.

Apesar da especialidade de Zanetti nas argolas, o treinador acredita que seu pupilo tenha condições de somar pontos importantes para o Brasil em outros aparelhos. Sobretudo se intensificar os treinos, como já está planejado.

“O Arthur é um especialista em argolas que faz um solo muito bom e tem um salto muito bom. Ele tem mais dois aparelhos para aumentar nota da equipe. Ele agrega, sim”, garantiu o técnico.

Neste ano, a mudança nos treinos virá acompanhada de um trabalho de manutenção para as competições que ainda virão. Zanetti tem pela frente duas competições na Suíça, a Copa Toyota, no Japão, e os Jogos Abertos do Interior, em que defende a cidade de São Caetano do Sul.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade