Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Ademilson promete ajudar parceiro Luis Fabiano a "tirar zica"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Será Luis Fabiano, e não Aloísio, o parceiro de Ademilson, nesta quarta-feira, diante do Flamengo. Um parceiro que costuma defini-lo como um de seus principais alvos de gozação no dia a dia, mas que anda em baixa e tem a promessa de sua ajuda para voltar à boa fase.

"Ele sempre brinca, não só comigo, mas com o Aloísio também. Sempre diz 'toca a bola para mim, seu moleque'. E a gente tem que servir ele mesmo, porque sabe que ele vai fazer o gol se receber a bola na área. Vou tentar tocar a bola para ele (fazer gol e) tirar essa zica aí", disse o prata da casa, de 19 anos, sorrindo.

A "zica" de Luis Fabiano não é exatamente a falta de gols. Sim, ele só marcou três nas dez partidas que fez sob comando de Muricy Ramalho, mas o maior problema é que o camisa 9 quase não tem conseguido jogar. Depois de ter machucado a coxa esquerda, motivo pelo qual ficou fora de seis compromissos, ele tem atuado jogo sim, jogo não.

Esta quarta-feira é dia "sim". Aloísio foi vetado em função de dores no músculo adutor da coxa esquerda e, apesar de o técnico Muricy Ramalho não ter posicionado os titulares diante da imprensa, tudo leva a crer que Luis Fabiano começará a partida ao lado de Ademilson – como foi em sua última exibição no Campeonato Brasileiro, diante do Vitória.

Desde o triunfo sobre o time baiano, ocasião em que Luis Fabiano se machucou, a dupla de frente na competição vinha sendo formada por Ademilson e Aloísio. Para o jovem atacante, no entanto, não há grande diferença entre ambos, que dividem a artilharia da temporada, com 21 gols cada.

"Eu me adapto bem jogando do lado dos dois, não tenho preferência. São dois grandes jogadores. Tenho que me adaptar com quem for para fazer a melhor dupla", falou Ademilson, nesta terça-feira.

O duelo com o Flamengo será em Itu porque o São Paulo foi punido com perda de mando de campo em quatro partidas. Apesar de ter conseguido efeito suspensivo para três delas, o clube precisa cumprir a primeira pena - atuando em um estádio localizado a mais de 100 km do Morumbi - antes do julgamento do recurso de seu departamento jurídico.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade