Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Aloísio se desculpa por pisão em Douglas durante comemoração

Tossiro Neto São Paulo (SP)

As comemorações do são-paulino Aloísio quase sempre deixam um companheiro reclamando, em tom de brincadeira. No sábado, porém, o próprio atacante admitiu ter extrapolado ao pisar nas costas do lateral direito Douglas, que comemorava caído no gramado o primeiro gol da vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa, anotado por Rodrigo Caio.

"Caraca... Hoje eu me passei. Ficou marca nas costas dele. Foi uma brincadeira, ele tentou sair (de baixo) na hora, mas se machucou. Eu já pedi desculpas várias vezes e vou pedir de novo na segunda-feira, na reapresentação", disse o jogador, pouco antes de deixar o Morumbi como um dos heróis - foi ele quem marcou o segundo gol do triunfo, na etapa complementar.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Voadora virou marca registrada do são-paulino
Não é a primeira vez que, sem querer, Aloísio machuca um colega em uma comemoração. O Boi Bandido, como ficou conhecido antes até de chegar ao São Paulo, tem usado, além da voadora – golpe que virou uma marca registrada sua e motivou até a criação de uma camisa pelo departamento de marketing –, expedientes não agradáveis. Já cortou a boca de Antônio Carlos, por exemplo, ao lhe dar tapas no rosto.

As comemorações não incomodam Muricy Ramalho, embora ele também já tenha sido alvo de suas demonstrações violentas de felicidade. O treinador, ao contrário, comemora a boa fase do centroavante, que igualou Luis Fabiano na artilharia deste ano, com 21 gols marcados. O teoricamente dono da posição tem atuado pouco recentemente, por questões físicas.

"Quando é menino, você dá uma brecada, senão se entusiasma demais e se perde. Mas o Aloísio não é menino. Tenho que deixá-lo curtir esse momento. Cortar seria besteira minha. Ele está dando entrevista, fizeram camisa para ele. É legal esse reconhecimento, porque é um cara muito querido no elenco e que está bem", disse o técnico.

O bom momento tem feito parte da torcida gostar mais dele do que de Luis Fabiano, inclusive. Seu nome é, no mínimo, tão ovacionado quanto o do camisa 9 quando o placar anuncia a escalação da equipe. Apesar disso, ele sempre evita se comparar ao companheiro ou exigir titularidade.

"O Muricy é bem inteligente, um grande treinador, e vai saber fazer a escolha certa. Como sempre falo, se tiver que esperar de novo, eu vou continuar trabalhando igual", disse Aloísio, contente com o reconhecimento da arquibancada. "Agradeço (a torcida), porque são pessoas que estão valorizando meu trabalhou e vou continuar trabalhando para dar mais alegria a eles".

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade