Futebol/Brasileiro Série B - ( )

América-MG e ABC se despedem da Série B com empate em jogo morno

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O América-MG se despediu nesta sexta-feira, de forma melancólica da Série B do Campeonato Brasileiro. O Coelho enfrentou o ABC, no Independência, e o time foi recebido no Horto com protestos da torcida, insatisfeita com a campanha ruim da equipe. Em campo, o jogo contra os potiguares foi lento e fraco tecnicamente, resultando em um empate sem gols.

Com o placar, o América-MG termina a Série B com 57 pontos e momentaneamente no sétimo lugar, já que o time pode perder posições no fechamento da rodada. Já o ABC acaba a competição com 46 pontos e a sensação de alivio de ter escapado da degola depois de um primeiro turno ruim.

Com o fim do Brasileiro da Série B, o América-MG entra em férias pensando em ter um 2014 melhor, para isso, o clube deverá ter mudanças estruturais pensando no Campeonato Mineiro. Já o ABC lutou muito para escapar da degola e assim como o Coelho espera melhora para a próxima temporada.

O jogo – O duelo entre mineiros e potiguares começou de forma morna, com as duas equipes trocando passes de forma lenta e desinteressada. Por atuar em casa, o América-MG marcou presença no campo ofensivo por mais tempo, mas finalizando pouco contra a meta do goleiro Rafael Roballo. Livre do risco de rebaixamento, o técnico Roberto Fernandes escalou uma equipe reserva que mostrou clara falta de entrosamento.

Os erros de passes foram o sinal mais visível do desentendimento dos atletas do ABC em campo. Mesmo com dificuldade, os visitantes conseguiram encaixar algumas jogadas de perigo contra um América-MG muito pouco agressivo. Em alguns momentos, o Coelho mostrou até falta de vontade, fato comprovado pelo excesso de passes laterais sem muita produtividade.

A primeira oportunidade de gol da partida só surgiu aos 16 minutos, mesmo assim, em chute de longa distância do lateral Danilo, que passou perto da trave abecedista. Aos 23, Bady tentou jogada individual, mas na hora da conclusão, a zaga visitante conseguiu o desvio para escanteio. Insatisfeito com o desempenho do time, Silas passou a cobrar mais movimentação do América-MG.

Arte GE.Net
A bronca do treinador fez a equipe acelerar um pouco o ritmo da partida, mostrando mais interesse pelo jogo. Com isso, o Coelho passou a jogar mais perto do gol adversário, mas aí surgiram as falhas de finalização, que foram presentes em toda a campanha americana na Série B.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipes apresentaram mais movimentação, porém, faltou criatividade para os jogadores de meio-campo. A maioria das oportunidades de gols nasceu de falhas ou bolas esticadas da defesa para ao ataque, futebol ruim que explica porque americanos e abecedistas frustraram as torcidas na competição.

Aos 14, o avante Schwenck perdeu a grande chance dos potiguares na partida. O jogador ficou com o rebote da zaga americana após cobrança de falta pela esquerda, e livre dentro da pequena área, errou o alvo. Na tentativa de aumentar o poder de fogo do Coelho, o técnico Silas promoveu as entrada dos atacantes Assis, Nikão e Fábio Júnior, mas a equipe ficou ainda mais apática no jogo.

Nos minutos finais da partida, o América-MG tentou agredir com mais intensidade, mas esbarrou nos erros excessivos e terminou a Série B com um empate sem gols e com muitas vaias e protestos da torcida. No ABC, o empate significou muito pouco, já que a equipe não tinha mais nenhum objetivo no campeonato.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade