Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Após protestos, Bom Senso lamenta tentativa de censura e ameaça CBF

São Paulo (SP)

O dia 13 de novembro de 2013 foi histórico para o futebol brasileiro. Todas as sete partidas disputadas na quarta-feira pelo campeonato nacional foram marcadas pelos protestos do grupo Bom Senso F.C, que luta por melhorias no esporte bretão verde e amarelo. Porém, o movimento dos jogadores parece não ter se satisfeito com a (falta de) receptividade demonstrada pelos árbitros dos jogos e pela CBF. Em nota divulgada nesta quinta-feira, o Bom Senso lamentou a tentativa de censura às manifestações feitas no primeiro minuto de todas as partidas, e ameaçou tomar “providências drásticas” caso haja “tentativa de evitar que os jogadores se expressem de forma pacífica”.

Os protestos foram realizados desde a partida entre Grêmio e Vasco, que abriu a 34ª rodada, em Porto Alegre, até o duelo São Paulo x Flamengo, em Itu, que encerrou as atividades de quarta-feira com atraso, por causa de uma ‘negociação’ entre jogadores e árbitros antes de a bola rolar. Assim como em todos os outros confrontos da noite, os atletas tricolores e rubro-negros pretendiam cruzar os braços e não colocar a bola em jogo no primeiro minuto de partida.

No entanto, o árbitro Alício Pena Júnior ameaçou dar cartão amarelo aos 22 jogadores caso isto acontecesse. Desta forma, são-paulinos e flamenguistas rolaram a bola, mas permaneceram paralisados em suas respectivas posições, trocando passes entre si. Claramente abdicando de buscar o resultado. Depois de cerca de 45 segundos e a “permissão” de Rogério Ceni, o jogo foi finalmente disputado, acabando com o placar de 2 a 0 para o Tricolor.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Jogadores de São Paulo e Flamengo entraram em campo, em Itu, com uma faixa questionando a CBF

Após o duelo, no entanto, os atletas da partida mostraram-se inconformados com a atitude do árbitro. O zagueiro Chicão, do Flamengo, por exemplo, chamou-o de babaca. A atitude de Alício Pena Júnior, porém, fazia parte de uma recomendação da CBF, que, após ver os jogadores com os braços cruzados depois do apito inicial dos jogos das 19h30, ordenou que os árbitros dos confrontos seguintes punissem os atletas.

A ameaça não foi bem recebida pelo grupo Bom Senso F.C., que, em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, lamentou a tentativa de censura e ameaçou a entidade máxima do futebol brasileiro em caso de ‘reincidência’. Em sua página oficial em uma rede social, o movimento afirmou que “os jogadores não estão descumprindo nenhum item do regulamento da competição” e que “ninguém foi prejudicado”. No fim, deixou claro que “caso haja a tentativa de evitar que os jogadores se expressem de forma pacífica, providências drásticas serão tomadas”.

Confira a íntegra da nota oficial do Bom Senso F.C.

“Após as manifestações ocorridas nos jogos de quarta-feira no Campeonato Brasileiro, o Bom Senso FC reprova toda e qualquer tentativa de se evitar que os atletas se expressem de maneira pacífica e sem prejudicar o andamento do espetáculo, como aconteceu neste meio de semana. Os jogadores não estão descumprindo NENHUM item do regulamento da competição. Em TODAS as partidas houve o pontapé inicial e o início do jogo. NINGUÉM foi prejudicado: atletas, arbitragem, torcedores, TV, imprensa, patrocinadores e todos os demais envolvidos no espetáculo.

Lamentamos a tentativa de CENSURA ocorrida no confronto entre São Paulo e Flamengo. Demonstramos nossa preocupação com os jogos restantes desta rodada, esperando que nenhum profissional ou clube seja prejudicado ou punido. Que todos tenham BOM SENSO. Caso haja a tentativa de evitar que os jogadores se expressem de forma pacífica, providências drásticas serão tomadas. Esperamos uma posição oficial, seguida de ATITUDES benéficas para o futebol brasileiro.

Bom Senso Futebol Clube
Por um futebol melhor
para quem joga,
para quem torce,
para quem transmite,
para quem patrocina.
Por um futebol melhor para todos”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade