Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Brasil sofre, mas vence Chile com gols de Hulk e Robinho

Toronto (Canadá)

O Brasil não teve uma atuação com brilho na noite desta terça-feira, mas superou o Chile por 2 a 1, no último amistoso da temporada. Com dificuldades diante do time de Jorge Sampaoli, a equipe pentacampeã recorreu a Robinho para superar o adversário, no Rogers Centre, em Toronto.

A Seleção Brasileira abriu o placar logo no início do confronto, com gol de Hulk. Porém, a equipe de Luiz Felipe Scolari exibiu dificuldades em campo e sofreu o empate na etapa final, com o gremista Vargas.

Os dois treinadores aproveitaram as alterações, e o brasileiro colocou Robinho, que não decepcionou e marcou seu nono gol diante do Chile. Apesar do frio intenso no Canadá, as seleções não tiveram problemas no estádio climatizado, mas o gramado atrapalhou a ambas, pelas placas que se soltavam.

Depois de se despedir de 2013 nesta terça-feira, a Seleção tem novo compromisso apenas no dia 5 de março, quando enfrentará a África do Sul, em Johanesburgo, no último jogo antes da convocação final de Felipão para a Copa do Mundo de 2014.

AFP
Brasil terminou a temporada com a vitória sobre o Chile (Foto: Elsa/Getty Images/AFP)
O jogo - O Brasil começou a partida pressionando a saída de bola do Chile, que optou por uma formação mais cautelosa, com três zagueiros. Porém, ainda nos primeiros minutos, o técnico Jorge Sampaoli teve de tirar Diaz, lesionado, para colocar Beausejour em campo.

A estratégia do time de Felipão surtiu efeito em pouco tempo. Aos 13 minutos, Jô adiantou a marcação para atrapalhar González, que deu um passe de presente para Oscar. O meia, então, teve tranquilidade para acionar na esquerda Hulk, que dominou na área e bateu forte para superar o goleiro Bravo.

Depois do gol, a Seleção deu indícios de que aproveitaria o momento positivo. Oscar levantou a bola na área, a zaga afastou errado e Jô bateu com perigo, com a bola desviando na zaga. Porém, Sampaoli corrigiu o posicionamento do Chile, desfazendo o esquema com três zagueiros, já que tirou Fuenzalida para colocar Valdivia.

A partir daí, a ‘Roja’ passou a ter mais posse de bola, trabalhando no meio-campo, mas sem criar jogadas efetivas de perigo. Já o Brasil caiu de rendimento, sem conseguir envolver novamente os adversários, com Neymar apagado.

No início do segundo tempo, o jogador do Barcelona tentou mostrar um pouco mais de velocidade e arrancou pelo meio, abrindo na esquerda para Hulk, que cruzou em cima da zaga. No rebote, Maxwell tocou para a pequena área, mas González tirou de carrinho, evitando gol de Paulinho, que chegava livre atrás.

Depois disso, aos cinco minutos, Felipão fez sua primeira troca na equipe, colocando Robinho no lugar de Jô. Com Neymar mais ativo, o Brasil passou a exibir uma postura mais dinâmica, criando chances na frente. Robinho recebeu lançamento de Neymar e tentou tirar do goleiro para chutar, mas Bravo salvou o Chile.

Na jogada seguinte, a zaga chilena tirou da área cobrança de escanteio brasileiro, e Hulk soltou um chute muito forte no rebote, acertando a trave. Com isso, o Brasil seguiu na frente. Paulinho apareceu pela direita e finalizou, exigindo defesa do goleiro, que deu rebote para Oscar, mas o meia desperdiçou a chance. Apesar das chances, a Seleção exibia dificuldades para combater o meio-campo chileno.

Em seguida, aos 13, Sampaoli foi obrigado a alterar sua equipe, já que Valdivia não suportou problemas clínicos e acabou substituído por Matías Fernandez. Na sequência, Felipão também mudou, com Willian e Ramires nas vagas de Oscar e Hulk. Mesmo assim, o Brasil não melhorou e acabou castigado.

Aos 25 minutos, o goleiro Bravo bateu tiro de meta, Matías Fernandez desviou de cabeça e a bola ficou na intermediária para Vargas. O gremista observou o posicionamento do goleiro e bateu no canto direito de Júlio César, que nem sequer pôde se mexer no lance. Pouco depois, o árbitro marcou impedimento em gol marcado por Neymar, que tocou antes de Robinho.

Em seguida, Neymar recebeu na área, e Bravo saiu para dar o combate, levando dois chapéus do atacante, mas o chute parou no goleiro, enquanto os zagueiros se aglomeravam na linha do gol. Porém, a pressão surtiu efeito, e Robinho aproveitou cruzamento de Maicon, aos 33 minutos, para mandar de cabeça para as redes e fechar 2013 com vitória para o Brasil.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade