Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Bronca em "português claro" reergueu São Paulo em um mês

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Foi em 3 de outubro, uma quinta-feira, o ponto de virada definitivo do São Paulo no Campeonato Brasileiro. Há um mês, no dia seguinte à derrota por 3 a 0 para o Santos (quando o rival fez dois gols com um homem a menos, na Vila Belmiro), Muricy Ramalho deu uma dura no elenco, por uma hora, com direito a uma série de palavrões.

"Às vezes, essas coisas de diálogo, de conversa bonitinha, de palavras bonitinhas, não funcionam. Para dizer o português claro, não funciona p... nenhuma. Foi desse jeito que falei com eles. Não dá para falar mais, vai me desculpar, porque você é uma menina", disse o treinador, neste sábado, à jornalista que havia feito a pergunta. "Às vezes, o técnico tem que falar o português claro".

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Muricy Ramalho cobrou elenco com tom duro após
Em português claro, ele avisou que a concentração seria antecipada em uma noite e também ouviu o ponto de vista dos atletas. Depois, estabeleceu um pacto para alcançar 46 pontos e salvar o São Paulo do rebaixamento (meta atingida com a vitória de sábado sobre a Portuguesa, no Morumbi). De lá para cá, o time não perdeu mais na competição nacional, tendo somado seis vitórias e um empate.

A primeira cobrança era quanto aos tropeços em casa, o que foi sanado imediatamente. Após o revés na Vila Belmiro, a equipe fez quatro partidas como mandante e só não venceu o Corinthians por conta de pênalti desperdiçado pelo goleiro Rogério Ceni nos minutos finais. E, fora de casa, surpreendentemente foi ainda melhor, ganhando os nove pontos em disputa.

Além da bronca de Muricy, também as aparições do presidente Juvenal Juvêncio com maior frequência no dia a dia mudaram o comportamento do elenco. Nos dias seguintes àquela derrota para o Santos, a terceira consecutiva na ocasião, o dirigente fez questão de deixar sua sala no CT da Barra Funda para acompanhar os treinamentos e se mostrar presente aos atletas.

Relembre: Juvenal assiste a treino após 1h de dura de Muricy no elenco

Um mês depois, salvo do risco de descenso à segunda divisão nacional - nas contas da comissão técnica, não matematicamente -, o São Paulo já se dá ao luxo de sonhar com uma vaga na Copa Libertadores, seja através do Campeonato Brasileiro ou com eventual titulo da Sul-americana.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade