Futebol/Mercado - ( )

Bruno diz que fez oferta no padrão do Verdão para ficar e espera resposta

William Correia e Tossiro Neto São Paulo (SP)

Com contrato até 31 de dezembro, Bruno viu Fábio ser escalado em jogo que poderia ser o do título da Série B do Brasileiro, como um teste para saber se tem condições de se tornar o reserva imediato de Fernando Prass. Mas o hoje primeiro suplente diz fazer mais do que treinar para mostrar sua vontade de ficar no Palmeiras: ponderou sua pedida salarial para renovar.

“Depende da diretoria. Não pedi nada de mais. Sabendo da situação do clube, fiz uma proposta dentro dos padrões que se encaixam para ficar e continuar fazendo história no Palmeiras”, disse Bruno, que ressalta sua identificação com o clube. “Não é só o centenário. São quase 17 anos de casa de trabalho e 29 como torcedor. Aqui é a minha vida e farei de tudo para ficar.”

Durante esses 17 anos como atleta do Verdão, o jogador de 29 anos de idade só passou um fora da equipe, quando foi emprestado para a Portuguesa, em 2011, onde também foi campeão da Série B do Brasileiro – também como reserva, exatamente como no Palmeiras de 2013.

Bruno foi preparado para substituir Marcos e ganhou a vaga de Deola no ano passado, conquistando o título da Copa do Brasil e o troféu de melhor da posição no torneio em 2012. Na sequência do ano, porém, participou como titular do rebaixamento no Brasileiro e Gilson Kleina solicitou a contratação de Fernando Prass.

Bruno teve chances em 2013 enquanto Prass se machucou, entre abril e junho. Teve atuações decisivas contra Santos, no Paulista, e na ida contra o Tijuana, no México, mas na volta das oitavas de final da Libertadores, no Pacaembu, contribuiu diretamente na derrota ao levar um frango. Desde então, tem sofrido ainda mais críticas vindas das arquibancadas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Reserva de Prass, Bruno levou frango em uma das poucas vezes em que atuou no ano e quer renovar
O goleiro, porém, ressalta sua qualidade. “Já mostrei meu valor, que sou capaz. Sou campeão da Copa do Brasil e agora sou campeão da Série B, na qual fiz um bom campeonato nos sete jogos em que atuei. Minha vontade é ficar, mas depende do Palmeiras. Se a diretoria optar por outra coisa, vou procurar o melhor para mim.”

Se o Verdão optar por não renovar com o camisa 1, o próximo clube de Bruno estará ciente de que contratou um palmeirense assumido. O reserva sabe de cor até os anos de cada uma das principais conquista do clube quase centenário, e avisa que celebraria o título da Série B nas arquibancadas tanto quanto fez em campo após a vitória por 3 a 0 sobre o Boa.

“Claro que gritaria ‘é campeão’. Tem que gritar ‘é campeão’. Quem nos acompanhou viu tudo que passamos desde maio. Sofremos, não foi fácil como muitos acham. Foram viagens longas, muito tempo longe de casa. Temos que comemorar mesmo”, incentivou o goleiro que, a partir do ano que vem, pode voltar a ser ‘apenas’ um torcedor do Palmeiras e, pela primeira vez, também um adversário.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade