Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Claudinei critica falta de capricho e apatia de talentos individuais

Salvador (BA)

O Santos pouco produziu no gramado do Barradão neste domingo. Presa fácil para o Vitória, o time paulista não se encontrou em campo e saiu derrotado por 2 a 0 pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas para o técnico Claudinei Oliveira, a história poderia ser outra e o Peixe ainda estaria brigando por vaga na Copa Libertadores da América se os principais jogadores do time tivessem chamado a responsabilidade.

Logo no primeiro minuto de jogo, por exemplo, a bola caiu limpa nos pés de Cícero na entrada da área. O grande nome do time na temporada, porém, pegou mal e mandou à esquerda do goleiro Wilson. Mais tarde, Thiago Ribeiro deixou dois marcadores no chão e tinha o gol escancarado para finalizar, mas isolou ao tentar estufar as redes.

“Tivemos três ou quatro contra-ataques para marcar, mas não fizemos porque tomamos a decisão errada. Tivemos chances de abrir o marcador, não fizemos e sofremos o gol (de Dinei, aos 20 minutos do primeiro tempo). Eles se fecharam depois e infelizmente as coisas não aconteceram. Não faltou empenho, mas talvez algumas individualidades não tenham rendido”, acusou o treinador.

Outro jogador com atuação discreta foi Walter Montillo. O argentino, vítima da forte marcação do paraguaio Luis Cáceres, mais uma vez decepcionou com a camisa santista e iniciou apenas a jogada desperdiçada por Thiago Ribeiro no primeiro tempo. Já Cícero, artilheiro do time no ano, foi anulado pelo experiente Michel.

No setor defensivo, Bruno Peres, e depois Cicinho, ficaram perdidos com as trocas de passe entre Damián Escudero, William Henrique e Juan. Emerson, na lateral esquerda, vacilou no gol marcado por Maxi Biancucchi no final do segundo tempo. Apenas o capitão Edu Dracena e os volantes Alison e Arouca pareciam incomodados com mais um revés.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade