Futebol/Bastidores - ( )

Claudinei entra na lista dos interinos que não vingaram no Santos

Vítor Dalseno, especial para a GE.Net Santos (SP)

O anúncio feito na manhã da última quarta-feira pelo presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, dando conta de que o técnico Claudinei Oliveira não permanecerá no clube em 2014, aumentou a lista dos interinos que acabaram não vingando no comando da equipe ao longo dos últimos cinco anos.

O atual treinador santista, que dirigirá o time até o final do Campeonato Brasileiro, substituiu Muricy Ramalho, demitido no final de maio. Nas 38 partidas em que o Santos esteve sob a tutela de Claudinei, foram 14 vitórias, 12 empates e 12 derrotas – aproveitamento de 47, 4%.

A exemplo de Claudinei, Márcio Fernandes treinava os juniores quando foi convidado para assumir o elenco principal, em agosto de 2008. Substituindo Cuca, que pedira demissão após derrota em casa, de virada, para o Atlético-MG, Fernandes se viu numa missão mais complicada: salvar o Santos, que aparecia em 18º na classificação do Campeonato Brasileiro, do rebaixamento.

Com a permanência na Série A garantida ao fim da temporada, Márcio Fernandes ganhou a confiança da diretoria santista, então presidida por Marcelo Teixeira, e começou 2009 no comando do Alvinegro. Um começo ruim no Campeonato Paulista, no entanto, foi fatal, e Fernandes acabou demitido após um total de 28 jogos como treinador do time principal, contabilizando 11 vitórias, 8 empates, 9 derrotas e aproveitamento de 48,8%.

Montagem sobre fotos Ricardo Saibun/Santos F.C.
Claudinei Oliveira se junta a Marcelo Martelotte (hoje no Náutico) e Márcio Fernandes (atualmente no Guarani)
No ano seguinte, outro interino comandou o Santos por um período considerável. Auxiliar técnico do clube, Marcelo Martelotte assumiu o time profissional em setembro, depois que Dorival Júnior foi demitido por um desentendimento com Neymar, e permaneceu até o fim do Campeonato Brasileiro.

Em 2011, Adilson Batista foi contratado para comandar o Peixe, e Martelotte retornou ao cargo de auxiliar. Após 11 jogos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro decidiu demitir o ex-zagueiro, e Martelotte voltou a assumir o time até a contratação de Muricy Ramalho. No total, Marcelo Martelotte comandou o Peixe em 27 partidas, acumulando 11 vitórias, 7 empates e 9 derrotas – aproveitamento de 49%.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade