Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Com filas em São Januário, Adílson mantém time e trabalha setor ofensivo

Rio de Janeiro (RJ)

A manhã desta quinta-feira foi agitada em São Januário. Se, dentro do estádio, Adílson Batista comandou um cansativo treinamento tático sob forte calor, fora dele, milhares de torcedores formaram longas filas para garantir um ingresso à próxima partida do Vasco no Campeonato Brasileiro, diante do Náutico, domingo, às 17 horas (de Brasília), no Maracanã. A expectativa é de que o público supere os quase 33 mil pagantes do duelo diante do Cruzeiro, na última rodada, e se aproxime do contra o Santos, há duas semanas, quando 57 mil pessoas pagaram para ver o empate por 2 a 2.

Esta quinta-feira foi o primeiro dia de venda de bilhetes para não sócios, e, por isto, houve enorme procura pelos ingressos nos principais pontos de venda. O Maracanã, local do jogo deste fim de semana, presenciou grande confusão e inúmeras reclamações por parte dos vascaínos. Isto porque o estádio também serve como ponto de venda para a partida entre Fluminense e Atlético-MG, que será realizada no sábado.

Aos cruz-maltinos, somente a bilheteria número 2 comercializa entradas para o duelo diante do Náutico. Como, anteriormente, os torcedores haviam sido informados de que as vendas ocorreriam na bilheteria 3, uma grande confusão se iniciou nos arredores do estádio. Revoltados, os torcedores tiveram que acalmar seus ânimos e se dirigir ao ‘posto’ correto. Tudo isto sob uma temperatura de 40º no entorno do Maracanã.

Já em São Januário, a situação não foi muito diferente. Na manhã desta quinta-feira, enquanto a equipe trabalhava dentro do estádio sob o comando de Adilson Batista, as filas para a bilheteria 9 se prolongaram e estenderam-se até a bilheteria 11, local em que normalmente fica a entrada de visitantes. Foram colocados à venda pouco mais de 55 mil ingressos, que se juntam aos bilhetes destinados aos sócios torcedores, formando uma carga máxima de 67 mil entradas.

Se fora dos estádios houve muita movimentação, dentro de São Januário os jogadores não decepcionaram. Correram, suaram, chutaram e, principalmente, atacaram. O foco de Adílson Batista nas atividades desta manhã foi no setor ofensivo. O treinador colocou o grupo para ensaiar jogadas de ataque, com ultrapassagens e jogadas rápidas pelas laterais. O objetivo é pressionar e encurralar o Náutico em seu campo de defesa desde o início da partida. Quanto à escalação, nenhuma mudança. O comandante manteve a equipe com Alessandro, Fagner, Cris, Luan, Yotún; Guiñazu, Abuda, Pedro Ken e Marlone; Thalles e Edmilson.

Vasco e Náutico se enfrentam neste domingo, às 17 horas (de Brasília), no Maracanã, em jogo válido pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time carioca é o 18º colocado com 41 pontos e está a um do Fluminense, primeira equipe fora da zona do rebaixamento. O Timbu, por sua vez, fez uma das piores campanhas da história da competição, é o lanterna com 17 pontos e já teve o seu descenso à Série B sacramentado matematicamente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade