Futebol/Bastidores - ( )

Coutinho e Lima comandam torcedores em evento na Vila Belmiro

Santos (SP)

Em comemoração aos 50 anos do Bicampeonato Mundial, o Santos premiará seus torcedores com uma experiência de jogador profissional. O evento “Jogue na Vila” levará vários fãs do Peixe ao estádio Urbano Caldeira, onde terão a oportunidade de disputar uma partida de futebol sob o comando de dois ídolos do clube: Coutinho e Lima. Ambos serão os técnicos das cinco equipes, que disputarão partidas de 30 minutos cada.

Antes da bola rolar, os felizardos, devidamente trajados com o uniforme completo do clube, participarão de uma preleção, ao lado de atletas profissionais do elenco alvinegro, e terão a oportunidade de presenciar seus respectivos nomes no placar eletrônico da Vila Belmiro. Fatos que tornam esta experiência mais realista e emocionante.

"Vai ser um dia especial, mais um das nossas vidas envolvendo o Santos. É um privilégio participar de uma ação como essa. Além de ficar próximo do torcedor, vamos comemorar uma conquista que é inesquecível", comentou Lima.

Já Guilherme Figueiredo, membro da empresa Futebol Tour, idealizadora do projeto, expressou suas expectativas quanto à ação promocional: "Trazer o torcedor para dentro de sua casa, como se fosse um jogador de futebol, é realmente uma experiência única e marcante na vida de qualquer pessoa que gosta e ama seu clube de coração. E estamos falando de uma data que é histórica para qualquer santista. A procura foi tanta que as inscrições se esgotaram rapidamente. Temos certeza que será um dia de muita alegria e descontração".

No entanto, a comemoração pelo cinquentenário da conquista global não se encerra com esta partida. No sábado, a partir das 19 horas, haverá um coquetel em homenagem a ídolos do clube, no Salão de Mármore da Vila Belmiro. Dentre os ilustres participantes imortalizados, estarão Mengálvio, Dalmo, Dorval, Geraldino e Pepe, além de Lima e Coutinho. Na visão de Fernando Montanha, gerente de marketing do clube paulista, esta lembrança é de grande valia para torcedores e jogadores: “A homenagem é mais do que justa. Não é sempre que conseguimos juntar os ídolos que colocaram o nome do Santos em evidência mundial”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade