Futebol - ( - Atualizado )

Defesa Civil fala em “erro de procedimento” em Itaquera

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O coordenador da Defesa Civil da cidade de São Paulo, Jair Paca de Lima, esteve no local do acidente nas obras do estádio do Corinthians, em Itaquera. A perícia da Polícia Técnico-Científica só será concluída na quinta-feira, mas a informação inicial é que um “erro de procedimento” causou a queda do guindaste que matou dois operários.

“Em um momento como esse, é difícil afirmar categoricamente. O que nós sabemos é que alguns funcionários e engenheiros responderam que foi erro de procedimento. Pode ser que em tenha havido algum problema na manobra, pode ser que tenha havido uma torção, tem a questão do peso etc. Isso acontece em muitas obras, só que aqui é uma obra voltada para a Copa do Mundo e nós tivemos dois óbitos no local”, afirmou Lima.

De acordo com ele, o tal erro pode ser, mas não é necessariamente humano. “Pode ter sido do maquinário, do ser humano ou da própria estrutura. Em uma obra desse tamanho, às vezes acontece. É um guindaste para 1.500 toneladas e não percebemos nenhuma falha no chão. Por isso, conversando com alguns engenheiros, parece que foi erro de procedimento.”

O coordenador da Defesa Civil observou que o horário do acidente limitou o número de vítimas. O problema com o guindaste que caiu na área leste do estádio – interditado em pouco menos de 10% – aconteceu pouco antes das 13h, quando boa parte dos funcionários não estava por lá.

“Lembrando que foi em um horário próximo ao horário de almoço. Por isso que nós tivemos dois óbitos. Em um horário de pleno movimento, provavelmente o número de vítimas seria maior. Foi divulgada a informação de que eram três, mas foram dois óbitos mesmo”, relatou Lima.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade