Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Figueirense vence ‘descontrolado’ Guará, confirma boa fase e cola no G-4

Florianopolis (SC)

O Figueirense teve um grande lucro ao fim da 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Após iniciá-la na décima colocação e a quatro pontos do G-4, a equipe alvinegra confirmou a boa fase ao vencer o Guaratinguetá por 2 a 1, neste sábado, no Orlando Scarpelli, em Santa Catarina, e subiu três postos, atingindo a sétima posição e ficando a apenas um tento do grupo dos times que subiriam para a primeira divisão nacional.

O duelo desta noite foi marcado pelo excesso de vontade mostrado pelas duas equipes dentro do campo de jogo. O Figueira abriu o placar aos 13 minutos do primeiro tempo, com Rafael Costa, de pênalti, sofreu o empate aos 23, com Rafinha, e correu sérios riscos de acabar com a derrota. Não fosse a trave e o goleiro Tiago Volpi, e o Guaratinguetá sairia do gramado om os três pontos.

No entanto, a equipe paulista tropeçou no próprio nervosismo para sair de Florianópolis com uma amarga derrota. Após sofrer o segundo gol, anotado por Thiego, aos 30 minutos do segundo tempo, quando era melhor em campo, a Garça perdeu um jogador da maneira mais bizarra possível. O volante Julio César, que havia falhado em saída de bola logo após o tento catarinense, não aceitou a cobrança de Fransérgio e acertou um tapa na cara de seu companheiro de equipe, sendo expulso pelo árbitro Grazianni Maciel Rocha.

O fato sacramentou a derrota do Guará, que caiu para a 14ª posição da Série B, estacionou nos 41 pontos e já se vê a apenas cinco da zona de rebaixamento para a terceira divisão nacional. O Figueirense, por sua vez, somou sua segunda vitória consecutiva, subiu para o sétimo posto e se encontra a um ponto do G-4. Na próxima rodada, o Guará visita o lanterna Asa, em Arapiraca, enquanto o Figueira recebe o ABC, no Orlando Scarpelli.

O Jogo- Precisando da vitória para encostar de novo no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, o Figueirense começou a partida pressionando o Guaratinguetá. Aos cinco minutos, Rafael Costa avançou pela esquerda e cruzou com perfeição para Maylson, que encheu o pé da marca do pênalti, mas pegou mal e mandou à esquerda do gol de Saulo. Aos nove, porém, o arqueiro do Guará apareceu bem. Após cruzamento da esquerda, Rafael Costa subiu mais que a zaga e cabeceou para baixo, obrigando o goleiro a fazer excelente defesa.

A resposta da equipe paulista veio rápida. No minuto seguinte, o zagueiro Pedro Paulo arrancou em rápido contra-ataque, chegou à entrada da área e bateu forte. Tiago Volpi saltou no ângulo direito e fez uma bela ponte para evitar o gol. Aos 13 minutos, no entanto, a rede foi balançada. Rafael Santos foi derrubado dentro da área, e a arbitragem assinalou pênalti para o Figueira. O próprio atacante foi para a bola e bateu com muita categoria, no canto esquerdo alto de Saulo, que não acertou o lado.

Arte GE.Net
O Guaratinguetá, então, se lançou ao ataque e foi recompensado aos 23. Após bela troca de passes, Rafinha recebeu na entrada da área e arriscou de pé direito. A bola desviou na zaga e matou o goleiro Tiago Volpi, que sequer teve tempo de saltar para tentar a defesa. Daí para frente, o ritmo do jogo caiu, e apenas Maylson, após chute perigoso pela esquerda, levou perigo a um dos goleiros. No fim, a primeira etapa acabou com um justo empate por 1 a 1.

O segundo tempo começou a todo vapor. Logo no primeiro minuto, Rafinha lançou Alex Afonso, que chutou da entrada da área e acertou o travessão de Tiago Volpi. O Figueirense passou a encontrar dificuldades para sair da marcação paulista, e, além disto, a sofrer na defesa. Aos 13 minutos, o volante do Guará, Julio César, recebeu de Alex Afonso, saiu na cara de Tiago Volpi e, ao invés de chutar, tentou o drible no goleiro, que saiu bem para ficar com a bola. A partir daí, o Figueirense voltou a ficar com a bola e frequentar o campo de ataque.

Aos 23 minutos, Paulo Roberto soltou uma bomba de longa distância e obrigou Saulo fazer grande defesa. O lance fez o Guará acordar e retornar à pressão sobre o Figueira. Primeiro, aos 25, Ruan cruzou da esquerda, e Wellington Saci desviou contra o próprio gol, acertando a trave de Tiago Volpi. Depois, Marquinhos ajeitou de cabeça para Alex Afonso, que arrematou da linha da pequena área e só não virou a partida porque a bola explodiu na cabeça do goleiro.

O time paulista seguiu melhor na partida, mas acabou castigado. Aos 30 minutos, Ricardinho cruzou da direita, Thiego subiu mais que a zaga do Guará e testou firme, vencendo o goleiro Saulo e recolocando o Figueira à frente do placar. O time catarinense se animou e quase chegou ao terceiro após falha de Júlio Cesar. Na sequência do lance, que acabou com finalização para fora de Rafael Costa, o volante da Garça foi cobrado por Fransérigo, irritou-se e acertou um tapa na cara do seu companheiro de time, sendo expulso de maneira bizarra.

Com superioridade numérica e o adversário derrotado psicologicamente, o Figueirense manteve o controle da partida e só não ampliou o placar por incompetência nas finalizações. Primeiro com Rafael Costa, que, com o goleiro caído, chutou para fora. Depois, com Maylson, que invadiu a área apela direita e parou em grande defesa de Saulo. No fim, o Guaratinguetá até pressionou, mas não teve forças para buscar o empate. O Figueira está de volta á briga pelo acesso à elite nacional.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade