Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Fluminense não quer decidir permanência na Série A contra o Bahia

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense segue trabalhando para escapar do risco de rebaixamento. Com 42 pontos conquistados, o time só não aparece na zona de queda do Campeonato Brasileiro por conta dos critérios de desempate. Isso porque o Bahia, hoje melhor colocado entre os times que seriam rebaixados, tem a mesma pontuação do Tricolor das Laranjeiras. Curiosamente, esses dois times irão se enfrentar na última rodada da competição, no dia 8 de dezembro, na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

O capricho da tabela do Brasileirão, que pode reservar um choque direto, tem mexido com os jogadores do Fluminense, que falam abertamente sobre a necessidade de afastar qualquer possibilidade de queda antes desta data chegar. Para isso a ordem é superar o Santos, neste domingo, às 17 horas (de Brasília), no Estádio Paulo Constantino, em Presidente Prudente (SP), e depois bater o Atlético-MG, no Rio de Janeiro (RJ).

“Temos que trabalhar com a realidade de que precisamos ganhar os dois próximos jogos, pois não podemos deixar para decidir a nossa vida na última rodada, fora de casa e contra um adversário que também pode estar precisando do resultado para escapar. A pressão seria muito grande, não é fácil jogar na Bahia com o estádio lotado e temos que fazer a nossa parte”, disse o volante Jean.

O goleiro Diego Cavalieri pensa de maneira parecida. Embora tome o máximo de cuidado para não parecer que está menosprezando os próximos rivais, ele admite o desejo de escapar do confronto direto com o Bahia.

“Nós sabemos da força do Bahia jogando em casa e não podemos chegar nesta última rodada com os dois times precisando do resultado para escapar do rebaixamento. O fato de a última rodada nos reservar esse confronto nos obriga a tentar escapar do risco de queda logo nesses dois próximos jogos. Claro que o Santos jogando em casa é muito difícil de ser batido, enquanto que o Atlético Mineiro dispensa qualquer tipo de comentário, pois é o campeão sul-americano. Mas deixar para o fim a pressão será muito maior”, afirmou Cavalieri.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade