Futebol/Eliminatórias da Copa do Mundo - ( - Atualizado )

França faz história e se classifica para a Copa do Mundo com gol contra

Paris (França)

Todos os prognósticos eram negativos para a França antes da partida no Stade de France. Além de nenhuma seleção ter conseguido reverter uma desvantagem de dois gols na repescagem europeia para a Copa do Mundo, a Ucrânia não perdia por três gols de diferença há três anos – foram 25 jogos no período. Apoiada em peso por sua torcida, no entanto, a campeã do mundo fez 3 a 0 e garantiu vaga na Copa do Mundo de 2014.

Os gols franceses foram marcados por Sakho, Benzema e Gusev, contra. O zagueiro abriu o placar aos 22 minutos do primeiro tempo, aproveitando rebote em chute de Ribéry. Em posição irregular, o atacante do Real Madrid ampliou 12 minutos depois.

Responsável por recompor a defesa ucraniana após a expulsão de Kacheridi, no primeiro minuto da etapa final, Gusev acabou sendo o personagem da classificação francesa. Após primeira metade fria no segundo tempo, o zagueiro tentou cortar chute cruzado de Matuidi e mandou contra o próprio patrimônio.

AFP
Jogadores da França comemora classificação histórica para a Copa do Mundo de 2014
O jogo – O hino, entoado pela torcida com a mesma força da decisão da Copa do Mundo de 1998, inflamou os jogadores franceses. Logo aos três minutos, Valbuena aproveitou a sobra de escanteio e chutou colocado, obrigando Pyatov a fazer bela defesa.

Do outro lado, a Ucrânia mostrava nervosismo e parava o jogo com muitas faltas, sempre cobradas por Valbuena. Em duas delas, Pogba e Benzema cabecearam com perigo sobre o gol.

AFP
Torcida francesa fez sua parte nas arquibancadas
Aos poucos, no entanto, os ucranianos se soltaram mais e passaram a equilibrar as investidas. Mesmo aparecendo mais no campo francês e tendo uma sequência de três escanteios consecutivos, porém, a seleção visitante levou perigo apenas uma vez, em cabeçada de Zozuk que saiu à esquerda do gol.

O lance acordou a França. Aos 22 minutos, Ribéry aproveitou a sobra de mais uma cobrança de falta de Valbuena e soltou a bomba rasteiro, obrigando Pyatov a fazer uma boa defesa. No rebote, Sakho aproveitou que o goleiro estava caído e teve apenas o trabalho de tocar para o fundo do gol.

Com pressa, a França seguiu no ataque em busca do segundo gol. Logo no minuto seguinte, Ribéry fez boa jogada individual e cruzou fechado, mas a bola foi para fora. No lance em seguida, Pogba soltou a bomba de fora da área e levou perigo para Pyatov.

Aos 29, Benzema apareceu livre na segunda trave para completar cruzamento de Ribéry, mas o árbitro erroneamente marcou impedimento no lance. O atacante do Real Madrid, no entanto, acabou recompensado cinco minutos depois. Após bate e rebate, Valbuena ajeitou de peito e ele, em posição irregular ignorada para o assistente, soltou a bomba para ampliar o placar.

AFP
Sakho e Benzema marcaram os gols da França no primeiro tempo
Sem a vantagem, a Ucrânia arriscou um pouco mais nos minutos finais da primeira etapa. Após nova sequência de escanteios, Konoplyanka girou bem e tirou de Lloris. Bem colocado, Debuchy colocou o peito na bola quase em cima da linha para evitar o gol da Ucrânia.

Logo no primeiro minuto da etapa final, Kacheridi cometeu falta dura sobre Ribéry e acabou recebendo o segundo cartão amarelo. A vantagem numérica, no entanto, não resultou em pressão dos franceses.

Diferente do primeiro tempo, os donos da casa foram mais cautelosos e levaram pouco perigo nos primeiros dez minutos da segunda etapa. A primeira grande chance veio apenas aos 12 minutos, quando Ribéry achou Benzema livre na grande área, mas o atacante isolou por cima do gol.

AFP
Gusev foi o grande personagem do jogo ao marcar o gol contra que classificou a França
Após 15 minutos frios, a França matou o jogo em infelicidade do zagueiro Gusev. Após bate e rebate na área ucraniana, Matuidi recebeu e chutou cruzado. Para evitar o segundo gol de Sakho, que entrava livre na segunda trave para completar para as redes, o defensor colocou o pé na frente e acabou mandando contra o próprio patrimônio.

A partir daí, os donos da casa foram ainda mais cautelosos e pisaram no freio, levando pouco perigo ao gol ucraniano. Do outro lado, a defesa francesa aproveitou a vantagem numérica e não tomou sustos, garantindo a festa azul no Stade de France.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade