Futebol - ( - Atualizado )

Gil discorda da visão de Andrés e diz que baixaria preço de ingresso

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Gil foi o entrevistado de quarta-feira no CT do Corinthians e mostrou uma visão diferente da de Andrés Sanchez. O ex-presidente do clube, em cuja gestão subiu o preço dos ingressos, criticou na última terça a atitude do São Paulo, que chegou a cobrar R$ 2 pela entrada em um momento no qual estava afundado na zona de rebaixamento.

“As pessoas fazem de tudo para ir ao jogo. É um pouco salgado”, disse o zagueiro, questionado se, como cartola, baixaria o valor dos bilhetes. “Eu reduziria, pelo estádio cheio. Para colocar o estádio cheio, seria bom.”

Andrés percebeu que pegaram mal as suas declarações, feitas durante um seminário sobre futebol, e divulgou uma nota se explicando. Segundo ele, o comentário era relacionado aos programas de sócios-torcedores.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O zagueiro Gil pensa hoje como pensava Andrés Sanchez em seus tempos de Pavilhão Nove
“Nas entrevistas que dei ao longo do evento, eu me demonstrei contra as promoções de ingressos que alguns times têm feito, porque isso prejudica os planos de sócio-torcedor de clubes que possuem essa modalidade. Portanto, minha defesa é somente em relação aos participantes dessas campanhas”, disse o cartola no texto.

Hoje responsável pelas obras do estádio do Corinthians em Itaquera, Andrés havia dito que “o que o São Paulo fez, por um momento difícil que estava passando, foi um mal para o futebol”. Fundador da organizada Pavilhão Nove, ele hoje pensa diferente do que defendem as uniformizadas sobre o assunto.

Em jogos normais no Pacaembu, o clube do Parque São Jorge tem cobrado ingressos que variam de R$ 30, nas arquibancadas e no tobogã, a R$ 180, na área VIP. Sucessor de Andrés, Mário Gobbi tem um compromisso de não elevar os preços até o fim de sua gestão, no início de 2015.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade