Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Goleiro da Ponte valoriza ponto ganho e agradece trave esquerda

Criciúma (SC)

O empate por 1 a 1 no confronto direto com o Criciúma foi visto como um resultado razoável pelo goleiro da Ponte Preta, Roberto. Em seu ponto de vista, ter evitado a derrota no Heriberto Hulse ao menos significou não ser ultrapassado pelo rival na luta contra o rebaixamento nacional.

"Não poderíamos perder. Bom mesmo seria ter vencido, porque a gente sairia da zona de rebaixamento, mas estamos nela faz 20 e poucas rodadas. Se sairmos só na última, não tem problema. Mas, hoje, dos males o menor. Deixar o Criciúma nos passar seria complicado", avaliou.

A igualdade manteve o time alvinegro com 34 pontos, apenas um acima do adversário deste domingo, e dois abaixo do Fluminense, primeiro colocado fora da zona de descenso.

Roberto enalteceu ainda mais por conhecer bem a dificuldade de atuar lá. Revelado pelo próprio Criciúma, o goleiro reforçou a ideia de que o empate como visitante não foi um resultado ruim, até porque a Ponte vem se recuperando, tendo somado oito pontos dos últimos 12 em disputa.

"É muito difícil jogar aqui dentro. O pessoal diz que o Criciúma já caiu, mas não. Tem muito campeonato ainda. Tem que ir até o final, tem que sair da zona no momento certo. Nós, se ganhássemos, teríamos saído. Mas pode ser na última rodada, não tem problema", ressaltou o ponte-pretano, salvo pela trave esquerda duas vezes no fim do jogo.

"Eu não estava nem perto, estava muito longe do lance (risos). Nem sei. Só sei que ali tive que agradecer bastante, porque quase que se vai o boi com a corda", concluiu Roberto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade