Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Hernane nega Fla diferente após Mano: “Jayme só deu mais motivação”

Rio de Janeiro (RJ)

De quase rebaixado no Campeonato Brasileiro a tricampeão da Copa do Brasil. Este foi o Flamengo de 2013. Sob o comando do badalado ex-treinador da Seleção Brasileira, Mano Menezes, a equipe lutava contra a degola e não conseguia obter bons resultados. Após a saída do gaúcho e a efetivação do interino Jayme de Almeida, porém, a realidade mudou, e o Rubro-Negro conseguiu encerrar a atual temporada em alta, com o segundo título de maior importância do futebol brasileiro e uma vaga para a Copa Libertadores da América do ano que vem.

Talvez o maior exemplo de um time que superou suas próprias limitações – externadas por Mano em seu discurso de saída – e chegou ao topo da Copa do Brasil seja Hernane. Atacante sem técnica, mas brigador e fazedor de gols, o Brocador, como é chamado, não tinha espaço com o ex-comandante da Seleção Brasileira e passou a se destacar somente nas mãos de Jayme de Almeida, tornando-se o artilheiro da equipe no Brasileirão e na Copa do Brasil. Apesar disto, o centroavante prefere não criticar Mano Menezes.

Em entrevista ao programa Arena Sportv nesta quinta-feira, Hernane admitiu que a frase “não consegui passar o que entendo de futebol ao grupo”, dita por Menezes em sua saída do Flamengo, não foi bem digerida pelo elenco, mas revelou que a equipe que consquistou a Copa do Brasil sobre o Atlético-PR, na última quarta, não é tão diferente da de quando o gaúcho era o comandante rub-negro.

AFP
Hernane não contou com a confiança de Mano Menezes, mas preferiu não atacar o treinador após o título

“O Mano é um excelente treinador, de Seleção, que, como ele mesmo disse, não conseguiu nos fazer entender o que ele queria. Naquele momento (saída de Mano), eu admito, foi um choque ouvir tudo aquilo. Mas, diferente do que todos falam, na hora que o Jayme chegou não mudou nada. Ele só deu mais motivação, confiança ao grupo. Ele falou que tínhamos que jogar como Flamengo. Não mudou nada”, afirmou o Brocador.

O atacante prosseguiu, agora tentando explicar os motivos da melhora da equipe justamente no momento em que Jayme assumiu o comando. “Com o Mano, o Flamengo não estava tendo bons resultados, mas acho que isto é relativo. O Jayme já conhecia o time. Eu, por exemplo, conversava muito com ele quando ainda trabalhava na base”, declarou, antes de revelar o conteúdo dos diálogos com o treinador.

“Ele sempre me incentivou muito, falava que sempre que um outro jogador da minha posição chegasse, eu tinha que trabalhar mais para conquistar o meu espaço. E foi o que aconteceu quando contrataram o Marcelo Moreno. Eu sabia que ele estava chegando para jogar, mas tive paciência e reconquistei meu lugar”, acrescentou, demonstrando gratidão pelo atual treinador do Rubro-Negro.

Para encerrar, quando questionado se considerava-se um ídolo do Flamengo, o Brocador foi sincero: “Hoje eu posso dizer que sim, porque, para ser ídolo, tem que conquistar títulos. Já haviam me feito essa pergunta antes, e eu tinha respondido que ainda não. Mas agora, depois que conquistei a Copa do Brasil, posso dizer que sim, sou um ídolo do Flamengo”, decretou o autor do gol do título do Rubro-Negro na última quarta-feira.

AFP
O artilheiro do time no Brasileiro e Copa do Brasileiro disse que, agora, pode ser considerado um ídolo do Flamengo

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade