Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Jogadores do Boa culpam lesões por queda de rendimento na Série B

Marcos Vieira, especial para GE.net Varginha (MG)

A derrota frente o Palmeiras na rodada passada, pelo placar de 3 a 0, no estádio do Pacaembu, encerrou as esperanças de acesso do Boa Esporte para a elite nacional. Ocupando o 11º posto, com 50 pontos, a equipe de Varginha não aspira mais nenhum objetivo na competição e apenas cumpre tabela nas duas rodadas restantes, contra Sport, em casa, e Avaí, em Florianópolis. Dentre os fatores apontados para a queda de rendimento da equipe mineira nas rodadas decisivas do certame, um surgiu como unanimidade: as lesões.

Para o versátil Petros, que alternou posições na competição, figurando na lateral, meia e ataque, as contusões foram determinantes para a falta de um ritmo de jogo: “Tínhamos uma equipe uniforme e eficiente, mas, infelizmente, as lesões nos atrapalharam. Agora, esperamos terminar a competição na melhor colocação possível. Além da visibilidade que buscamos, precisamos tratar nossos torcedores e o campeonato com o máximo de respeito. Por isso, vamos continuar nos doando até os últimos instantes”, expressou o jogador, em entrevista por telefone.

Já o volante Vinícius Hess apontou outros fatores para o insucesso do Boa Esporte: “Além das lesões, sofremos com a mudança do elenco. Foi um grande ‘entra e sai’ de jogadores e isso é prejudicial para a formação de um padrão tático”, declarou.

Presente na equipe de 2011, que brigou pela Série A até a última rodada, Hess fez questão de traçar um paralelo entre as duas competições: “Em 2014, tudo ficou mais difícil pra nós, por causa da paralização para a Copa das Confederações. Isso criou vários jogos em sequência para nós, em pouco tempo. Além do mais, quando vamos jogar em cidades distantes, sempre saímos de Varginha de ônibus rumo a São Paulo, onde pegamos o avião. Assim, nosso tempo de descanso é sempre menor do que os times das capitais, que dispõem de aeroportos”, revelou.

Acerca do planejamento para o Campeonato Mineiro, disputado no semestre inaugural do próximo ano, Petros foi enfático: “A diretoria do Boa Esporte trata as transferências com muito cuidado. Nada é exposto com antecedência para nós. Sabemos das mudanças no mesmo tempo que os jornalistas. Porém, tenho certeza que uma base muito sólida e eficiente ficará para o estadual”, finalizou.





Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade