Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Jogo no Canindé tem brigas e gera suspeita de Guto Ferreira

São Paulo (SP)

O empate por 0 a 0 entre Portuguesa e Coritiba, na noite deste sábado, foi marcado por confusões fora de campo. Além de uma briga de torcedores do Coxa com a Polícia Militar, funcionários do clube paranaense afirmaram que foram agredidos por fãs do time rubro-verde antes de a bola rolar.

Segundo informação do Sportv, o Coritiba alegou que integrantes do seu departamento de logística foram hostilizados por um grupo de torcedores locais em frente a um dos portões do estádio, cerca de quatro horas antes de a bola rolar no estádio.

Já no intervalo do jogo, houve outra confusão, desta vez em uma briga entre torcedores do Coritiba com a Polícia Militar. Depois da partida, questionado se teme a perda de mando de campo, o técnico da Lusa, Guto Ferreira, levantou suspeitas sobre os problemas, principalmente depois de ouvir que o Coxa estaria ameaçando fazer um Boletim de Ocorrência por conta do caso com seus funcionários.

“Estão vendo como tem coisa orquestrada? Aqui dentro todos são bem-recebidos, pelo menos é o que consta”, afirmou. O treinador demonstrou preocupação com a possibilidade de ter de jogar longe do Canindé nesta reta final do Campeonato Brasileiro.

“O que me preocupa é começar todo mundo a perder mando. Está certo que existiu (briga na arquibancada), mas com qualquer coisinha já tem perda. Precisam avaliar muito bem isso, porque, daqui a pouco, podem usar isso como recurso para favorecer ou prejudicar alguém. Não estou dizendo que é assim, mas me preocupo em perder mando. O tribunal vai ter sensatez para avaliar realmente o que aconteceu”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade