Futebol/Copa Sul-Americana - ( - Atualizado )

Jorginho pede calma e ressalta: “Quem marca a história é aquele que ganha”

São Paulo (SP)

A Ponte Preta deu um passo importantíssimo rumo à final da Copa Sul-americana ao bater o São Paulo por 3 a 1, em pleno Morumbi. Apesar da ampla vantagem adquirida para a partida de volta, o técnico Jorginho mantém os pés no chão e relembra que a Macaca ainda não conquistou nada na competição.

“Ainda não ganhamos nada. Temos que estar cientes de que o jogo que vem pela frente é fundamental, manter a atenção e a concentração. As coisas vão clarear quando passar esse jogo, ainda temos a final. Não basta chegar. Quem marca a história é aquele que ganha”, ressalta.

Na segunda-feira, o Conmebol anunciou que o jogo de volta da semifinal seria realizado em Mogi Mirim, levando em conta reclamação do São Paulo de que o estádio Moisés Lucarelli não comportava os 20 mil torcedores que o regulamento da competição exige.

Mesmo sem a intenção de Jorginho, o fato foi lembrado na preleção da comissão técnica, que exaltou a chance deste elenco conquistar o primeiro título nos 113 anos de história da Ponte Preta.

“Não usamos esse artifício. Pedi que [o produtor] fizesse um vídeo contando a história de como foi construído o Moisés Lucarelli, trazer essa memória para os jogadores. Temos que honrar essa camisa e aquele que o construíram, porque não poderemos fazer esse jogo tão importante lá. Com todo o respeito, o torcedor merecia esse momento único. Mas existe essa regra e temos que respeitar”, conclui.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade