Futebol/Bastidores - ( )

Ken agradece esforço vascaíno, mas nega jogo especial com o Cruzeiro

Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco da Gama garantiu a presença de Pedro Ken no duelo com o Cruzeiro neste sábado, às 19h30 (de Brasília) no Maracanã. O meia está emprestado pelo time mineiro e, por força de contrato, não poderia enfrentar o time a que tem seus direitos registrados. A diretoria cruz-maltina, no entanto, entrou em acordo com a Raposa e o camisa 10 poderá ser escalado por Adilson Batista.

“Eu fiquei muito feliz por isso. Ter esse reconhecimento é importantíssimo para mim, por tudo que eu sempre procurei fazer quando entrei em campo e também no meu dia a dia. Eu sempre busquei isso e espero retribuir a confiança dentro de campo”, declarou o meio-campista, que assumiu posto de protagonista após a grave lesão sofrida por Juninho Pernambucano.

Apesar de agradecer o empenho dos dirigentes para poder ajudar o Gigante da Colina na luta contra o rebaixamento, Pedro nega que o duelo terá sabor especial, já que teve poucas chances de atuar enquanto esteve no Cruzeiro. “É um jogo tão importante quanto qualquer um que entrei vestindo essa camisa e os outros dois que teremos até o final. Não tem significado nenhum”, rechaçou.

Para o jogo com os campeões nacionais, o Vasco também contará com apoio maciço vindo das arquibancadas. Até o fim da tarde desta quinta-feira, 20.157 ingressos foram vendidos para o confronto no Maracanã. Depois, os cariocas, que somam 38 pontos na antepenúltima posição, terão mais dois jogos para tentar escapar do rebaixamento à Série B: Náutico no RJ e Atlético-PR em Curitiba.

“Enquanto tivermos meio por cento de chances de permanecer, estaremos acreditando e lutando. Quando entrarmos em campo, independente da situação, temos que honrar a camisa. É preciso se dedicar, pois a torcida e a responsabilidade são muito grandes”, alertou Ken.

Além da crise pelo risco de ser rebaixado pela segunda vez em apenas cinco anos, o Vasco precisa lidar com a ira da torcida. Nos treinamentos desta quinta em São Januário, alguns torcedores hostilizaram o lateral esquerdo peruano Yoshimar Yotún e precisaram ser retirados pelos seguranças do clube para que o problema não ganhasse maiores dimensões.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade