Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Lanús ignora caldeirão paraguaio e expulsão para bater o Libertad

Assunção (Paraguai)

Assim como a Ponte Preta calou o Morumbi ao vencer o São Paulo por 3 a 1, o Lanús deu sequência à ótima semana para os visitantes nas semifinais da Copa Sul-americana nesta quinta-feira. O time argentino não se incomodou com a pressão no acanhado estádio Nicolás Leóz, em Assunção, não se abalou com a expulsão de Ortiz e bateu o Libertad por 2 a 1.

Os paraguaios contaram com o apoio da torcida e dominaram boa parte do primeiro tempo. Com apenas nove minutos da etapa complementar, no entanto, os donos da casa tiveram a festa frustrada. Acosta fez boa jogada pela esquerda e mandou na área para o experiente centroavante Santiago Silva. O uruguaio encheu o pé e estufou as redes.

O gol desestruturou a equipe paraguaia, enquanto os comandados de Guillherme Schelotto, ex-atacante do Boca Juniors, passou a controlar as ações. E o domínio se traduziu no segundo gol grenate aos 18 minutos. Gustavo Gómez cometeu pênalti em Acosta, Paolo Goltz foi para a cobrança e converteu com precisão.

A vitória que parecia tranquila, porém, ganhou ares dramáticos dois minutos depois. Ortiz agrediu Osmar Molinas e recebeu o cartão vermelho. O Libertad voltou a pressionar e descontou aos 35. Gómez se redimiu da penalidade cometida e testou firme para vencer Augustín Marchesín. O goleiro, entretanto, estava em noite inspirada e freou a reação dos mandantes, que ainda tiveram Manuel Maciel expulso aos 43, seis minutos após substituir González.

Com o resultado, o Lanús pode se classificar à final da Copa Sul-americana com qualquer empate e até mesmo uma derrota por 1 a 0 em La Fortaleza. Ao Libertad resta apenas vencer por dois gols de diferença ou então pela diferença mínima, desde que marque três gols em solo argentino. O confronto de volta está marcado para as 22h15 (de Brasília) da próxima quinta-feira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade