Futebol/Copa Sul-americana - ( )

Luis Fabiano e Jadson tentam recuperar prestígio de 9 e 10

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Juntos de novo, como no jogo de ida, Luis Fabiano e Jadson voltam a enfrentar o Atlético Nacional, a partir de 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, em Medellín. Será mais uma chance a ambos de, com Muricy Ramalho, recuperarem o prestígio dos números que levam nas costas da camisa do São Paulo, 9 e 10 respectivamente.

Das partidas sob comando do atual treinador, o centroavante disputou nove - não esteve em campo em sete oportunidades por questões físicas - e fez apenas três gols. O rendimento aquém do esperado abriu brecha para o substituto imediato, Aloísio, que não foi utilizado em apenas duas ocasiões e balançou a rede sete vezes em nove jogos como titular.

"Ele sempre deu trabalho para o adversário. Só que agora está fazendo gols. Essa é a grande mudança do Aloísio. Número 9 depende de gols. Ele jogava antigamente, mas fazia poucos gols e era tirado pelo treinador", elogiou Muricy, no sábado, quando o antes reserva marcou um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa, no Morumbi.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Centroavante tem perdido o espaço de camisa 9
Depois de não ter atuado nessa partida, Luis Fabiano volta a ser titular nesta quarta-feira. No embarque para a Colômbia, dias depois de ter sido cobrado publicamente por Muricy, o atacante fechou a cara. Como já havia fechado no segundo tempo do primeiro jogo das quartas de final, quando o técnico atendeu à torcida e colocou o jovem Ademilson em seu lugar.

Jadson, ao contrário, aproveitou bem a primeira chance no lugar de Paulo Henrique Ganso, que pegou duas partidas de gancho na Sul-americana em função da expulsão nas oitavas de final. O camisa 10 fez o primeiro gol da vitória por 3 a 2. Um golaço, por sinal, que não o devolveu a titularidade no Campeonato Brasileiro, porém já lhe deu mais confiança.

"Estou tranquilo e feliz com esta nova oportunidade de mostrar meu futebol. Espero conseguir fazer um bom jogo, para tentar ganhar um lugar na equipe. Sei que o time está muito bem, mas vou trabalhar forte para conquistar meu espaço", falou o jogador, antes da viagem.

Convencer Muricy, contudo, parece missão difícil. Por ora, o principal armador do São Paulo, em sua opinião, é outro. "Hoje a gente tem um 10, porque o Ganso é para dividir a armação, jogador que é especialista nisso, que organiza o time como ninguém. Claro que algumas coisas ele tem de entender, melhorar", elogiou o comandante, há pouco mais de uma semana, quando o na verdade camisa 8 foi bem diante da Universidad Católica.

Restando pouco tempo para o final da temporada, tanto Jadson quanto Luis Fabiano precisam mostrar serviço não apenas para eles, mas também para a diretoria. O primeiro nunca foi unanimidade e quase deixou o clube recentemente. Já o contrato do último vence em dezembro de 2014, meses depois da Copa do Mundo, com a qual ele já sonhou. Com a qual, agora, parece mais próxima de Ganso.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade