Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Luxemburgo diz que fica, mas pressão sobre Peter Siemsen aumenta

Gazeta Press Rio de Janeiro (SP)

A derrota de 1 a 0 para o Corinthians jogou o Fluminense de vez para a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Com isto, a pressão aumentou ainda mais sobre o presidente Peter Siemsen, que vem sendo constantemente pressionado por grupos políticos e conselheiros a demitir o técnico Vanderlei Luxemburgo. A saída do treinador era dada como certa em caso de tropeço em Araraquara (SP), porém, não foi isso que foi visto após o jogo. Inclusive, o treinador garantiu que vai permanecer no cargo até o fim do ano.

“Sou treinador de futebol e não vou desistir dos meus objetivos por causa de alguns percalços. Acredito no meu trabalho e o grupo está unido no sentido de tirar o Fluminense desta situação. Temos cinco decisões pela frente e temos que pensar em ganhá-las”, disse Vanderlei Luxemburgo.

Nos bastidores das Laranjeiras, as últimas semanas registraram algumas reuniões importantes sobre o tema. Após a derrota de 1 a 0 para o Flamengo, Peter chegou a pensar seriamente em demitir Vanderlei no dia seguinte, mas foi convencido pelo empresário Celso Barros, presidente da Unimed, principal patrocinadora do clube, a declinar da ideia. Rodrigo Caetano, diretor-executivo do departamento de futebol, teve peso determinante nesta decisão. Isso porque ele, mesmo sem jamais ter aprovado a contratação de Vanderlei, alegou que uma troca no comando técnico neste momento poderia ter consequências drásticas.

Peter vem ouvindo Barros e Caetano e isso tem lhe custado alguns apoios políticos, algo grave se levando em consideração que a eleição presidencial está marcada para o dia 23 de novembro e a oposição tem um nome forte: o do ex-jogador Deley, hoje deputado federal.

Uma coisa é certa. Mesmo com todo o apoio de Celso Barros e com o aval de Rodrigo Caetano, Vanderlei Luxemburgo não deve resistir a um tropeço na próxima quinta-feira, às 21 horas (de Brasília), contra o Náutico, no Maracanã, pela 34ª rodada. O time pernambucano, lanterna e já rebaixado por antecipação, tornou-se uma espécie de saco de pancadas da competição.

O elenco volta a treinar nesta terça-feira, quando Vanderlei vai começar a pensar na escalação para este jogo. Diante do Timbu, o Fluminense não poderá contar com o volante Edinho, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Corinthians, e nem com o zagueiro Anderson, expulso no mesmo jogo. O volante Diguinho, com lesão na coxa direita, é dúvida.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade