Futebol/Copa do Brasil - ( )

Mancini destaca obediência tática e compara Furacão ao Paulista

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O Atlético Paranaense fez valer a vantagem construída no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil 2013 e com um empate sem gols em Porto Alegre, diante do Grêmio, garantiu sua vaga para a final inédita na história do clube. O técnico Vágner Mancini, visivelmente emocionado após o apito final, exaltou a obediência tática dos jogadores, que colocaram em prática uma marcação forte para segurar o Tricolor na Arena.

“O time fez um jogo de muita garra, com entrega, com alma, com os jogadores honrando a camisa de que vestem. Esses atletas entenderam o que tinham que fazer, com toda dificuldade que é jogar aqui”, disse o comandante rubro-negro, explicando a regularidade do time, mesmo fora de casa. “O Atlético tem uma forma de jogar, que não teme adversário nenhum. Seja quem for que estiver do outro lado vai atacar, vai para cima”, emendou.

Oito anos depois de chegar à final da competição no comando do Paulista, de Jundiaí, o treinador traçou um paralelo entre as equipes e vê semelhanças no estilo do jogo que conseguiu implantar. “Fico feliz quando vejo semelhança com o Paulista de 2005, time que marca, sai rápido, mesmo que hoje não tivesse tido tantas oportunidades, mas aí são coisas de uma semifinal”, avaliou.

Mancini recordou do momento em que assumiu o Furacão, na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, e destacou a união do grupo atleticano para buscar uma reação incrível, que culminou na chega à final da Copa do Brasil e na vice-liderança do Brasileirão. “Era um momento diferente. Sabíamos que naquele instante seria fundamental tirar a equipe do 19ª lugar. E aconteceu muita coisa boa, com todos juntos, os jogadores, e todos que lutaram para chegar aqui com a gente”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade