Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Muricy aplaude Ponte e é contrário a palmas se for eliminado

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Já na quarta-feira passada, logo após a derrota por 3 a 1 para a Ponte Preta, Muricy Ramalho tratou de valorizar a atuação do time treinado por Jorginho, no Morumbi. Nesta terça, véspera do decisivo duelo, o treinador são-paulino voltou a elogiar a campanha do adversário na Copa Sul-americana.

"Fez uma grande competição e merece estar onde está. Você não pode pôr culpa só nos nossos erros, porque senão tira o mérito do adversário. Temos que respeitar e também aplaudir, porque estão fazendo uma grande competição", disse, mesmo lembrando que, no Campeonato Brasileiro, o rival é vice-lanterna e está praticamente rebaixado.

Os aplausos que oferece à Ponte, Muricy não quer para o São Paulo. Não se sua equipe for eliminada nesta quarta-feira, em Mogi Mirim. Respaldado pelo excelente trabalho de recuperação feito na competição nacional - prioridade no segundo semestre -, O treinador tem analisado com certa naturalidade uma eventual queda, mas não acredita que isso sirva para merecer palmas.

"Aplaudir, não, porque você só ganha aplauso quando faz bem as coisas, e nós não fizemos (nesta temporada). É claro que o grupo teve uma reação impressionante, mas a gente não tem que estar feliz por isso. Temos que estar aliviados. Estamos aliviados, mas tem que sentar e ver por que chegamos a essa situação", argumentou.

"Era essa a grande meta que tínhamos, infelizmente. Meta que ninguém gostaria de ter, mas, se puser tudo que poderia ter de negativo (em caso de rebaixamento), foi quase que um título. Agora estamos folgados, relaxados, mas a preocupação era muito grande. Realmente foi um trabalho duríssimo que tivemos que fazer. E é para isso que me trouxeram. Foi um trabalho duro, mas que a gente cumpriu bem", exaltou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Treinador só deseja aplausos se conseguir a classificação à final da Sul-americana, em Mogi Mirim
O número de torcedores são-paulinos presente em Mogi Mirim não será grande. Não exatamente por conta da dificuldade de o time ter que fazer ao menos três gols para não ser eliminado, mas porque o São Paulo é visitante e teve direito a apenas 1.024 ingressos do total da carga colocada à venda pela Ponte, a qual pode até perder por 2 a 0 para chegar à decisão.

"É muito boa essa vantagem. Além do aspecto de números, também uma vantagem emocional. A Ponte Preta, apesar de não estar bem no outro campeonato, nesta competição tem ido muito bem", curvou-se Muricy, mais uma vez.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade