Futebol/Copa Sul-americana - ( )

Muricy vê viagem mais curta como lado bom de enfrentar Ponte

São Paulo (SP)

A classificação da Ponte Preta inverteu o chaveamento das semifinais da Copa Sul-americana. Para evitar uma final entre equipes do mesmo país, a Conmebol forçará a equipe de Campinas como adversária do São Paulo, o que, na opinião de Muricy Ramalho, será bom.

"Gera menos desgaste para os times. Foi bom pra a gente e para eles, porque os dois estão brigando pra subir na tabela do Brasileiro e, assim, não precisam fazer viagens longas", disse o treinador, que não quis conceder entrevista nesta sexta-feira, mas falou ao site do clube.

Se a Ponte tivesse sido eliminada pelo Vélez Sarsfield (Argentina), o oponente são-paulino na próxima fase do torneio continental seria o Libertad (Paraguai), que eliminou o Itagui (Colômbia). Nesse caso, segundo Muricy, seria um rival tão complicado quanto o brasileiro.

"Essa (a viagem mais curta) é a única vantagem mesmo, porque será tão difícil quanto seria o Libertad. Essa competição tem jogos duros, como foram os anteriores, então de qualquer forma é uma partida complicada", analisou.

Antes da Sul-americana - cujo primeiro jogo será em 20 de novembro, no Morumbi -, o São Paulo se volta novamente para o Campeonato Brasileiro, pelo qual visita o Atlético-PR, às 17 horas (de Brasília) deste domingo, em Curitiba.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade