Futebol/Brasileiro Série B - ( )

No banco em estreia profissional do 3º reserva, Prass fica insatisfeito

Belém (PA)

No jogo que seria o do título da Série B do Brasileiro caso o Palmeiras não perdesse do Paysandu, Gilson Kleina tinha oito desfalques e resolveu inovar no único setor em que tinha força máxima: o gol. Fernando Prass viajou até o Pará e ficou no banco enquanto Fábio fazia sua estreia profissional. E não gostou.

Antes mesmo de a partida começar, o jogador mais velho do elenco, sentado no banco, deixou claro seu incômodo com a situação. “Todos querem jogar, mas o treinador tem a opção dele. Seria estranho eu estar satisfeito. Eu queria estar jogando”, disse o camisa 25 ao Sportv, falando com naturalidade, na tentativa de evitar polêmica.

Na segunda-feira, quando a delegação viajou para Belém, Fábio treinou entre os titulares, mas até funcionários do clube duvidavam que o terceiro goleiro do elenco realmente teria chance de começar jogando, até porque Prass demonstrou estar em plenas condições físicas treinando com reservas.

A explicação de Kleina é a intenção de privilegiar quem treina bem, independentemente de ter sido na partida que poderia ser a do título. “Foi uma opção minha para ver o garoto que sempre se destaca nos treinos”, argumentou o técnico, que não relacionou Bruno, reserva imediato de Prass e que ficará sem contrato com o clube em 31 de dezembro.

No intervalo, antes de levar o gol que definiu a partida, Fábio mostrava felicidade. “É um sonho de criança jogar com a casa lotada. Minha estreia está sendo boa, quero continuar assim”, afirmou o jogador de 23 anos, 12 anos mais novo do que Fernando Prass.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Prass é um dos maiores defensores da permanência de Kleina, mas não gostou de ficar no banco em Belém
Fábio virou terceiro goleiro recentemente, após Raphael Alemão – com dois jogos e ambos com derrotas e falhas suas no time principal, no ano passado – ser emprestado ao Marília, da segunda divisão paulista. E Fábio mostrou qualidade para ser reserva de Prass caso Bruno realmente não permaneça no Verdão.

O estreante fez a sua primeira defesa em bola cabeceada em seu canto esquerdo rasteiro e, ainda no primeiro tempo, salvou o Palmeiras ao rebater com as pernas um forte chute cruzado de Marcelo Nicácio. No segundo tempo, foi quem mais se esforçou em meio à troca de passes do Paysandu na grande área que transformou os jogadores do Verdão em espectadores no gol de Pikachu.

Reserva por uma noite, após uma longa viagem, Fernando Prass sempre se colocou como um dos maiores defensores da permanência de Kleina, que pediu a sua contratação no fim do ano passado. Líder do elenco, o goleiro foi citado por Juninho como um dos que poderiam procurar a diretoria para convencê-la a renovar com o técnico.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade