Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Odebrecht identifica vítimas fatais de arena e nega dano estrutural

São Paulo (SP)

A Odebrecht, responsável pela construção da Arena Corinthians em Itaquera (Zona Leste de São Paulo), manifestou-se sobre o acidente que matou duas pessoas no canteiro de obras, nesta quarta-feira. As vítimas fatais acabaram identificadas. Também foi negado qualquer dano estrutural no estádio, que tinha previsão de entrega para o final do ano.

O motorista Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, estava na cabine de um caminhão atingido pelo desabamento de três estruturas metálicas após a queda de um guindaste no setor leste da arena. Ele ficou preso nas ferragens e não resistiu. Era natural do Ceará, casado e pai de três filhos.

Já Ronaldo Oliveira dos Santos, de 44 anos, descansava no local do acidente durante a sua hora de almoço e também acabou vitimado. O montador era de Limeira, cidade do interior de São Paulo onde também nasceu Andrés Sanchez (ex-presidente corintiano, que responde pela construção da arena), separado e pai de uma filha.

“Infelizmente, tivemos duas vítimas. Não houve mais ninguém machucado nem de raspão, nada. O operador do guindaste que caiu ficou em pânico e foi atendido na enfermaria da obra”, comentou Sanchez. “Foram só duas vítimas. Mas, para nós, é como se tivessem sido milhões”, acrescentou.

As obras da Arena Corinthians, antes 94% concluídas, ficarão paralisadas por tempo indeterminado para realização de perícia. “Mas não houve comprometimento da estrutura. Tivemos danos em parte do prédio, mas nada que abalasse a estrutura em si”, reforçou Frederico Barbosa, engenheiro da Odebrecht encarregado da construção do estádio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade