Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Oposição diz que Juvenal levou conselheiros em voo a Medellín

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Em discurso público para sócios e conselheiros do São Paulo, Kalil Rocha Abdalla (candidato da oposição à eleição de 2014) deu a entender nesta terça-feira que o voo fretado da delegação para Medellín, onde o time enfrentará o Atlético Nacional, pela Copa Sul-americana, foi utilizado como agrado eleitoreiro a conselheiros vitalícios.

O ex-diretor jurídico da gestão de Juvenal Juvêncio chamou o voo de "avião do Faustão", indicando que "um grande grupo" de conselheiros viajou com os jogadores e a comissão técnica a convite do atual presidente, que tenta fazer Carlos Miguel Aidar como seu sucessor a partir de abril do ano que vem. Ele não soube precisar a quantidade de pessoas. Mas, antes, ao site SPFC.net, havia dito "pelo menos uns 70".

Fernando Dantas/Gazeta Press
Kalil ironizou atitude do presidente Juvenal Juvêncio
Procurado pela GE.net, o clube não negou que conselheiros viajaram com o time, contudo reduziu o número para seis – um sétimo teria ido separadamente, por conta própria.

"Não seria possível chegar em condições para jogar uma decisão em Medellín sem que fosse fretado um avião. Tendo que fretar o voo, o número de passageiros nada muda no preço", disse José Francisco Manssur, assessor da presidência, que ficou no Brasil.

Ocorre que, segundo a programação divulgada no início da semana, foi fretado apenas o avião que partiu de Santa Cruz de la Sierra com destino à Colômbia. Teoricamente, portanto, de Guarulhos até a Bolívia, a viagem foi comercial, com custo individual por passagem.

Esse foi o terceiro evento aberto da chapa de oposição do São Paulo na capital paulista. Como nos anteriores, além de Kalil, quem também falou com os presentes na noite desta terça-feira foi Marco Aurélio Cunha. O ex-superintendente, que assumirá o futebol em caso de vitória nas eleições, não tocou no assunto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade