Futebol/Copa 2014 - ( )

Oscar compreende Diego Costa e lembra pedido de dispensa em 1983

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Famoso por seu patriotismo, Oscar compreendeu a decisão do centroavante Diego Costa de priorizar a seleção espanhola de futebol em detrimento da brasileira. O Mão Santa dedicou boa parte da carreira ao time nacional, mas já pediu dispensa antes de um torneio, em 1983

“O Diego Costa foi jogar na Espanha. É cidadão espanhol e brasileiro, mas quem fez tudo por ele foi a Espanha. Nada mais justo que ele escolha a Espanha para jogar. A partir do momento em que o Brasil não fez nada ou quase nada por ele e a Espanha fez muito, ele escolheu a Espanha. Dou toda a razão a ele”, disse.

O técnico Luiz Felipe Scolari chegou a convocar Diego Costa para os amistosos contra Itália e Rússia, disputados no último mês de março, e ficou furioso com a decisão do jogador de priorizar a Espanha visando à Copa do Mundo-2014. Assim como José Maria Marin, presidente da CBF.

Oscar defendeu clubes italianos durante aproximadamente 11 anos e diz ter recusado ofertas para adquirir a cidadania do país europeu neste período. Em tese, a medida seria vantajosa para o clube e para o próprio atleta, na medida em que ele não mais ocuparia uma vaga de estrangeiro no elenco.

“Infelizmente, esses são os tempos modernos. Eu poderia ser italiano, mas não quis. Seria muito melhor para a minha vida. Meus filhos e minha esposa também poderiam. Mas recusei por coisas minhas com o Brasil. Hoje, o cara vira cidadão de qualquer país do mundo facilmente”, declarou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Pelé e Oscar compreenderam a decisão do centroavante Diego Costa de priorizar a seleção espanhola
Nos últimos anos, Oscar criticou intensamente os jogadores que se recusaram a defender a Seleção Brasileira de maneira sistemática, especialmente Nenê, um dos atletas do País na NBA. Curiosamente, em 1983 o próprio Mão Santa decidiu pedir dispensa antes dos Jogos Pan-americanos de Caracas para priorizar sua equipe na Itália.

“Eu precisava estar com meu clube, pedi dispensa e fui. Foi a única vez. Joguei 24 anos pela Seleção. Fiz 326 jogos e mais de 7 mil pontos. Perdi minhas férias até os 35 anos. Você vai me culpar por uma vez que pedi dispensa? Naquele ano, eu já tinha jogado o Sul-americano pelo Brasil”, lembrou Oscar.

Com a camisa da Seleção, o Mão Santa disputou cinco edições das Olimpíadas. Ele conquistou a medalha de bronze no Mundial das Filipinas-1978 e ganhou o ouro nos Jogos Pan-americanos de Indianápolis-1987 sobre os Estados Unidos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade