Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Para Ceni, jogadores fizeram jus ao canto "time de guerreiros"

Medellín (Colômbia)

O São Paulo fez jus, nesta quarta-feira, ao grito de "time de guerreiro" que sua torcida tem entoado ultimamente. Essa foi a opinião do goleiro Rogério Ceni, ao fim do sofrido empate por 0 a 0 com o Atlético Nacional, em Medellín, que foi suficiente para garantir a vaga na semifinal da Copa Sul-americana.

"Teve espírito de luta, de time de guerreiros, que a torcida tanto clama no estádio. Não somos o melhor time do Brasil, mas a gente vinha de uma viagem de 12 horas, pesada. Não temos um elenco tão grande. Então, tenho que agradecer a boa vontade e a dedicação dos meus companheiros, que nos levaram até aqui", enalteceu.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
São Paulo segurou empate sem gol em Medellín
Derrotada por 3 a 2 no primeiro duelo, no Morumbi, a equipe colombiana precisava vencer para evitar eliminação e, por isso, tomou a iniciativa do início ao fim. Mas esbarrou em uma defesa consistente, que a forçou alçar bolas na área ou experimentar arremates de longa distância.

Da defesa para a frente, no entanto, o São Paulo não foi bem. Sem Paulo Henrique Ganso, que cumpria o segundo e último jogo de gancho da Conmebol, o time brasileiro foi pouco criativo e quase não ameaçou a meta adversária. Nem com Aloísio nem com Luis Fabiano, que deixou o campo no começo da segunda etapa para a entrada de Ademilson.

"A ausência do Ganso, a gente sente muito. Não só pela qualidade, mas pela personalidade que ele tem de botar a bola no chão e jogar. Eles apertaram muito nossa saída de bola, por causa do jogo de ida. No futebol, se erra. Mas bola se joga no chão. A gente tem que ter coragem, não pode perder confiança porque errou. Confiança é tudo", disse Ceni, ao ponderar a avaliação.

"Foram raros os momentos em que conseguimos pôr a bola no chão. Tivemos muitos erros de passe. O adversário deve ter tido mais posse e um número de finalizações muito maior. Mas aquilo que a gente se propôs a fazer nos deu a classificação para a próxima fase. Não foi o São Paulo de outros jogos, no Brasileiro e na própria Sul-americana. Mas é um São Paulo classificado", concluiu.

O rival da próxima fase ainda é desconhecido e será definido nesta quinta-feira. Pelo lado da chave, seria Libertad (Paraguai) ou Itagui (Colômbia). Ocorre que, se passar pelo Vélez Sarsfield (Argentina), a Ponte Preta é quem encarará o São Paulo, pois o regulamento força o não enfrentamento de equipes do mesmo país na decisão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade