Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Pelé exalta fidelidade e vê recorde quebrado por Ceni como homenagem

Helder Júnior São Paulo (SP)

Pelé não ficou melindrado porque um recorde seu está próximo de cair. Na derrota do São Paulo para a Ponte Preta, Rogério Ceni igualou a marca de 1.116 jogos por um mesmo time brasileiro do Rei do Futebol. Até o final do ano, quando decidirá se irá se aposentar ou prolongar a carreira por mais uma temporada, o goleiro terá tempo para ampliar o feito.

Relembre o adeus de Pelé ao Santos

“Isso é fidelidade. Nós somos fiéis. Só não sei se o Rogério teve as mesmas propostas para jogar fora do Brasil como eu tive. Havia ofertas todos os anos, mas eu estava bem no Santos e continuei”, recordou Pelé, que ainda defendeu o New York Cosmos, dos Estados Unidos, depois das suas 1.116 partidas pelo clube da Vila Belmiro.

O ex-jogador observou que a sua longevidade no Santos não estaria novamente em evidência se não fosse por Rogério Ceni. “Tenho muitos recordes de que ninguém se lembra. Quando alguém bate um deles, as pessoas voltam a tocar no assunto. Isso é bom, uma homenagem. Quero que sempre existam brasileiros para renovar os meus feitos para as outras gerações”, comentou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Pelé deu adeus ao Santos em 1974; quase quatro décadas depois, vê Rogério Ceni quebrar seu recorde
Apesar do recorde, o 1.116º jogo de Rogério Ceni não foi feliz para ele. O São Paulo perdeu por 3 a 1 para a Ponte Preta na noite de quarta-feira, no Morumbi, e complicou-se na disputa por uma vaga na decisão da Copa Sul-americana. “Infelizmente, o São Paulo foi derrotado justo no dia da celebração do ato do Rogério”, lamentou Pelé, mas rindo.

O Rei do Futebol só torceu o nariz quando ouviu que Rogério Ceni “é o Pelé do São Paulo”. “Como exemplo, sem dúvida nenhuma. É legal ele ter esse amor de não querer sair da equipe”, aceitou, após alguns segundos de silêncio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade