Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

“Pequena vantagem” não ilude flamenguistas para jogo do título

Curitiba (PR)

Se antes a comissão técnica do Flamengo temia o primeiro jogo da decisão, na Vila Capanema, a postura do clube carioca nesta quarta-feira espantou qualquer receio. Sem temer uma possível pressão paranaense, o time da Gávea teve o domínio do jogo e conquistou um importante empate em 1 a 1. Agora, a missão é conquistar uma vitória simples ou até mesmo uma igualdade sem gols para levantar a taça. O discurso rubro-negro, no entanto, prega cautela.

Questionado sobre a importância do resultado na Vila Capanema, o goleiro Felipe deixou a euforia de lado, alertou seus companheiros, afirmando que a vantagem não é tão grande como parece. "Representa uma pequena vantagem, simples. Não deixa de ser uma vantagem. Não pode ficar dependendo dessa vantagenzinha”.

Para o atacante Paulinho, que foi um dos melhores do Flamengo no segundo tempo, a tranquilidade para buscar o resultado depois de sair atrás do placar foi fundamental. “É um ótimo resultado. A gente entrou focado, conversamos para não ficar desatento em nenhum minuto, porque podia complicar. Tivemos uma desatenção, acabamos tomando o gol, mas tivemos tranquilidade para buscar o empate”.

O atacante destaca, no entanto, que ainda não há nada decidido, lamentando o fato de que o Flamengo poderia ter saído com um resultado ainda melhor na casa do adversário. “Não tem nada decidido ainda, não somos campeões, ainda temos que trabalhar. Tivemos bons contra-ataques, mas não aproveitamos. É um bom resultado, mas não tem nada ganho”.

Campeão da Copa do Brasil em 2009, com o Corinthians, Elias também lembrou o regulamento da competição, que usa o gol fora de casa como critério de desempate. “Conseguimos um passo importante, que foi ter feito um gol fora de casa, mas ficou um gostinho que poderíamos ter saído com a vitória”, destacou o volante do Flamengo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade