Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Por fim do jejum e vaga na final, Grêmio recebe Atlético-PR na Arena

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

Doze anos depois de seus últimos títulos nacionais, Grêmio e Atlético-PR lutam nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, por uma vaga na final da Copa do Brasil. Campeão brasileiro de 2001, o Furacão visita o Tricolor, campeão da Copa do Brasil daquele ano, em vantagem: como perdeu por 1 a 0 em Curitiba, o Grêmio será obrigado a vencer por dois gols de diferença para chegar à decisão.

O Tricolor Gaúcho é pura mobilização para a decisão. O jejum de 12 anos sem grandes títulos incomoda a torcida gremista, que vê na Copa do Brasil, onde a equipe é a que mais tem títulos (quatro) e decisões disputadas (sete), a grande chance de acabar com a seca de faixas nacionais. Vislumbrando a possibilidade de voltar a comemorar, os gremistas devem atingir nesta quarta o maior público em jogos oficiais da Arena – a expectativa é de mais de 45 mil pessoas.

Em relação à partida de ida, o time de Renato Gaúcho vem bem reforçado, especialmente no ataque. Kleber, Barcos e Vargas, ausências da partida em Curitiba, atuarão desde o começo nesta quarta. Trata-se de um alento para o Grêmio, que penou com pouca força ofensiva na Vila Capanema. Porém, mesmo com o trio em campo, a equipe não passou de um 0 a 0 com o Bahia, na Arena, neste final de semana. Já são quatro jogos sem marcar gols.

Para Kleber, o Grêmio precisa ter organização nesta quarta-feira para vencer o Atlético-PR e evitar tomar gol – se sofrer um, terá de fazer três para chegar à decisão: “nós queremos matar nos 90 minutos para não ter aquele desespero, a ansiedade de uma decisão por pênaltis. Mas temos que pensar um passo de cada vez. É marcar o primeiro gol, com inteligência, para depois fazer o segundo, com organização”, projetou o Gladiador.

Divulgação/Grêmio
Dida foi o grande destaque do Grêmio na fase de quartas de final, quando a equipe tirou o Corinthians nos pênaltis
A desvantagem de 1 a 0 não chega a assustar o Tricolor, que reverteu em casa duas vezes este mesmo placar nesta temporada: em janeiro, passou pela LDU nos pênaltis; em agosto, fez 2 a 0 no Santos e chegou às quartas de final da Copa do Brasil.

Apenas um empate separa o Furacão de uma final inédita na história do clube, que pode coroar uma grande temporada com um novo título a galeria do Rubro-Negra e, é claro, com o retorno à Libertadores da America, vaga que também está bem encaminhada via Campeonato Brasileiro. Com alguns destaques do time descansados após ganharem folga no final de semana, a expectativa é de força máxima em campo.

Para com contar com isso, o técnico Vágner Mancini espera pelas liberações do atacante Marcelo e do lateral Pedro Botelho, peças importantes para o esquema atleticano. “A nossa esperança é que os dois estejam. Mas, infelizmente, não posso assegurar. A vontade, a disposição dos atletas e a nossa vontade é que eles estejam em campo. Sabemos que serão mais dois soldados a fazer parte deste exército”, afirmou.

Caso sejam vetados, os prováveis substitutos serão Juninho, improvisado na lateral, e Dellatorre. Porém, no caso do último, que tem sido decisivo nas últimas partidas, o departamento médico também dará a palavra final, já que saiu com dores diante do Internacional, no final de semana. Se ficar de fora, aí Ciro é o mais cotado para o ataque. O meia Paulo Baier e o zagueiro Manoel, poupados no Brasileirão, voltam naturalmente a suas posições.

Sobre a postura do time, que além do empate ainda ficará com a vaga caso marque gols e a diferença não seja maior do que um no placar, a ideia é aproveitar os possíveis espaços que o Tricolor deixará ao partir na busca pelo resultado e tentar matar a partida, seja no contra-ataque ou na bola parada, mas sem ficar recuado demais, um equilíbrio que pode decidir a classificação.

Divulgação
O Atlético-PR, que já tirou Palmeiras e Inter, aposta na força do grupo para alcançar a final
FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X ATLÉTICO-PR

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 6 de novembro de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Guilherme Dias Camilo (MG)

GRÊMIO: Dida; Pará, Rhodolfo, Bressan e Alex Telles; Souza, Ramiro e Riveros; Kleber, Barcos e Vargas
Técnico: Renato Gaúcho

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Juninho (Pedro Botelho); Deivid, João Paulo, Everton e Paulo Baier; Marcelo (Dellatorre) e Ederson
Técnico: Vagner Mancini

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade