Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Prass valoriza conquista, mas pede reforços para 2014 ainda melhor

São Paulo (SP)

O indesejável segundo título da Série B do Campeonato Brasileiro finalmente foi conquistado pelo Palmeiras. Com o fim da angústia, elenco, comissão técnica e diretoria começam a pensar em 2014. E para evitar novo sofrimento da torcida, Fernando Prass espera que os dirigentes reforcem a equipe para o ano que marcará o centenário do clube alviverde.

“Nosso desempenho em 2014 depende dos atletas que eles conseguirem manter. Temos uma base muito boa, mas precisa de grupo, porque as competições vão exigir demais. Não poderemos vacilar na Série A, emntão tem que reforçar. Temos posições em que somos carentes, tivemos que improvisar. Nós jogaremos em campo e a diretoria tem que contratar”, ressaltou o goleiro durante a festa pela conquista da segunda divisão.

Embora tenha apresentado discurso cético e cobrado atenção com a próxima temporada, Prass não deixou de comemorar o feito do Verdão neste sábado. Depois de primeiro tempo duro, o time treinado por Gilson Kleina dominou o Boa Esporte e emplacou 3 a 0 no placar do Pacaembu. O panorama da partida com os mineiros, segundo o goleiro, representou toda a campanha palestrina.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Fernando Prass foi um dos jogadores mais saudados pela torcida após a conquista da Série B
“A dificuldade que encontramos foi maior do que a festa de hoje. O Palmeiras já havia caído, o torcedor tem razão de se conter. O sabor da conquista é proporcional ao que seria a frustração se não subíssemos ou nao ganhássemos. Agora seria simples dizer que foi fácil e não vibrar, mas é só olhar os outros time que subirem a festa que vai ser. Em pontuação foi tranquilo, mas dento de campo foi pedreira”, destacou.

Com um título no currículo logo em seu primeiro ano no Palmeiras, Fernando Prass quer mais. O arqueiro chegou com o aval do ídolo Marcos que se aposentou dos gramados na temporada passada, teve de superar grave lesão no ombro e viu o reserva Bruno ser criticado pela torcida pela eliminação na Copa Libertadores da América para o Tijuana.

No gosto da torcida de um time que não contratava um goleiro desde o paraguaio Gato Fernández nos anos 1990, Prass espera dias melhores em 2014: “Eu sempre soube lidar com a pressão. Cheguei aqui com o peso de uma escola que não contratava há cerca de 18 anos, com Marcos aposentado. Ainda tive lesão que atrapalhou. Espero que ano que vem faça inteiro, sem lesão grave e que possa render mais”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade