Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Sanchez se diz triste, mas nega interferência em futuro de Tite

Helder Júnior São Paulo (SP)

Andrés Sanchez não quer se manifestar – ao menos de forma pública – sobre o planejamento do Corinthians para 2014. Basta ouvir uma questão sobre a permanência ou não do técnico Tite no Parque São Jorge para ele se impacientar.

“O presidente do Corinthians agora é o doutor Mário Gobbi, então perguntem para ele. Não tenho mais participação nenhuma nisso”, esbravejou Sanchez, nesta terça-feira.

No primeiro semestre de 2013, quando o Corinthians comemorava os títulos paulista e da Recopa Sul-americana, Gobbi fazia campanha para Tite renovar mais uma vez o seu contrato, com validade até o final do ano. A relação entre técnico e clube, contudo, acabou desgastada após a sequência de empates e a escassez de gols que culminaram em uma campanha ruim no Campeonato Brasileiro, além da eliminação na Copa do Brasil.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Ex-presidente está chateado com os problemas do Corinthians no segundo semestre de 2013
“Como torcedor, estou triste pelo momento que o clube passa. Mas agora é com o Mário Gobbi e os seus diretores”, Sanchez voltou a incumbir, apesar de não ter conseguido esconder a sua insatisfação com a turbulência corintiana.

Em outras ocasiões, Gobbi já confirmou que leva em consideração a opinião do seu antecessor no comando do Corinthians. Ainda mais em tomadas importantes de decisão, como no caso da permanência de Tite.

“Como fui presidente e não gostava que ninguém se metesse, não vou me meter agora. Sou conselheiro vitalício do Corinthians, mas não palpito em nada na parte de futebol”, esquivou-se de novo Andrés Sanchez, irritado como de costume.

Chateado, mas...
Apesar de não querer falar sobre Tite, Andrés Sanchez aceitou opinar sobre Alexandre Pato. O ex-presidente foi mais um torcedor que se frustrou com o pênalti cobrado de forma caricata pelo astro contra o Grêmio, no lance que selou a eliminação do Corinthians da Copa do Brasil.

“Todo o pênalti perdido chateia”, lamentou inicialmente Sanchez. “Mas, se ele tivesse feito o gol, estariam elogiando o jogador pela personalidade, por ter menosprezado o Grêmio. Como errou, está pagando por isso. Arriscou e, infelizmente, errou”, simplificou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade