Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Se não perder, Muricy pode bater returno de Ney Franco em 2012

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Apesar de não ter o mesmo final vitorioso de 2012, com título da Copa Sul-americana e no G-4 do Campeonato Brasileiro, a temporada atual do São Paulo pode terminar melhor do que a anterior, se considerada exclusivamente a pontuação no returno da competição nacional.

Com 32 pontos ganhos até aqui na segunda metade do Brasileiro, a equipe atualmente treinada por Muricy Ramalho precisa de mais quatro nas duas rodadas restantes para superar a arrancada comandada por Ney Franco no mesmo período do ano passado.

Não pode perder, portanto. Diante de Criciúma (neste domingo, fora de casa) e Coritiba (em 8 de dezembro, como mandante, provavelmente em Itu), será necessário somar ao menos um empate e uma vitória. E com jogadores reservas, já que Muricy aproveitará a eliminação na semifinal da Sul-americana – torneio que, por ter sido o último campeão, o São Paulo desta vez estreou já nas oitavas – para testar jogadores pouco utilizados.

Fernando Dantas/Gazeta Press
São Paulo pode superar campanha obtida no segundo turno do Campeonato Brasileiro do ano passado
Ney Franco fez o mesmo. Como ainda tinha pela frente a decisão da competição continental, poupou o grupo principal e disputou as duas últimas rodadas do Brasileiro com escalações mistas, empatando com a Ponte Preta, em Campinas, e vencendo o Corinthians, no Pacaembu. O curioso é que alguns reservas daquela época hoje são titulares incontestes.

É o caso de Paulo Henrique Ganso. O meia estava no clube havia pouco tempo e só foi aproveitado definitivamente por Ney Franco em 2013, mas também sem muito sucesso. Jogador e treinador chegaram a se indispor publicamente um com o outro. Há outros exemplos, como o meia Maicon e o atacante Ademilson, que ganharam a confiança de Ney Franco para deixar Jadson e Luis Fabiano no banco.

As comparações param por aí. Ao contrário de Ney Franco, que chegou a ser cobrado por colocações intermediárias em determinados momentos, o trabalho de Muricy - que estreou justamente na primeira rodada do segundo turno - teve desde o início a missão de salvar o São Paulo do rebaixamento à segunda divisão nacional. E conseguiu, com uma arrancada tão boa quanto à do antigo treinador.

Embora ainda possa superar a campanha do returno de 2012, Muricy dificilmente tornará o São Paulo o melhor time das 19 rodadas finais. O Cruzeiro lidera a segunda metade da competição já com 35 pontos, mesma pontuação que deu o título simbólico a Ney Franco, na temporada passada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade