Futebol/Amistosos Internacionais - ( - Atualizado )

Seleção chega a Miami para amistosos e evita atrito com Diego Costa

Miami (Estados Unidos)

A Seleção Brasileira já está em solo norte-americano. Na noite da última segunda-feira, os jogadores convocados por Luiz Felipe Scolari para os amistosos diante de Honduras e Chile, nos Estados Unidos e Canadá, respectivamente, desembarcaram em Miami e não deixaram de opinar sobre o assunto mais comentado nas últimas semanas: a escolha de Diego Costa por defender a seleção espanhola. A maior parte dos atletas, no entanto, preferiu evitar polêmicas e disse respeitar a opção do atacante do Atlético de Madrid.

Foi o caso do lateral direito Daniel Alves. Ele, aliás, viveu situação parecida à de Diego. Mudou-se para o futebol espanhol ainda muito cedo – em 2002, aos 19 anos – e, após se destacar no Sevilla e Barcelona, recebeu convite para defender La Roja. Diferentemente do sergipano, porém, o baiano optou por vestir a camisa verde e amarela.

Mowa Press
Daniel Alves viveu a mesma situação de Diego Costa, mas optou por defender a Seleção Brasileira
“Já tinha passado por situações parecidas, felizmente pude realizar meu sonho. Mas outros jogadores também têm sonho de poder desfrutar, jogar o Mundial, seja por qualquer seleção que for. Ele achou que pela seleção espanhola teria mais opção do que pela brasileira e tomou essa decisão. Tem que ser respeitado”, declarou Daniel, que foi acompanhado por Hulk.

O atacante, que hoje atua no Zenit St. Petesburgo, da Rússia, ganhou projeção mundial por suas grandes atuações vestindo a camisa do Porto, de Portugal, e também teve propostas para se naturalizar. Primeiro, do Japão, país para o qual se mudou ainda aos 19 anos após disputar apenas uma partida como profissional pelo Vitória. Depois, dos próprios lusos, que se encantaram pelo estilo de jogo físico e técnico do paraibano. Hulk, porém, rejeitou os convites por um motivo bem comum entre os jogaores nascidos no Brasil.

“Depois que cheguei no Porto passei a ter um sonho que era vestir a camisa da Seleção Brasileira. Desde então, nunca mudei meu sonho, consegui realizá-lo e até hoje estou vestindo a camisa da Seleção. E toda vez que eu visto é um sonho realizado”, disse Hulk, antes de opinar sobre a escolha de Diego Costa, que optou por seguir um caminho diferente que o seu.

“É difícil comentar uma situação como a do Diego, só ele mesmo que sabe o que se passou pela cabeça dele. Eu estou feliz por defender a Seleção Brasileira, qualquer jogador quer fazer isto. Na minha situação, não trocaria pela seleção portuguesa”, decretou.

É desta forma, ainda com resquícios do ‘caso Diego Costa’, que a Seleção Brasileira se prepara para os seus dois últimos amistosos no ano, contra Honduras e Chile, nos dias 16 e 19 de novembro, nos Estados Unidos e Canadá, respectivamente. Os comandados de Luiz Felipe Scolari realizam já nesta terça-feira o primeiro de quatro treinos diários em Miami, às 19 horas de Brasília (16 horas locais), no estádio da Universidade Internacional da Flórida. Antes disto, porém, o atacante Robinho, único que ainda não chegou por problemas com o visto, já deve ter desembarcado em solo norte-americano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade