Futebol/Mercado - ( )

Sem ação da diretoria, elenco do Verdão vive expectativa de desmanche

William Correia São Paulo (SP)

Paulo Nobre avisou que só poderá conversar sobre o elenco de 2014 quando definir o técnico do Palmeiras no ano que vem. Como não consegue renovar com Gilson Kleina, a diretoria acaba influindo diretamente no dia a dia de todos os jogadores. Existe na Academia de Futebol uma expectativa de desmanche para a temporada do centenário.

Dos 34 atletas que compõem o plantel campeão antecipado da Série B do Brasileiro, 13 ficam sem contrato a partir de dezembro: o goleiro Bruno, o lateral Fernandinho, os zagueiros Vilson e André Luiz, os volantes Márcio Araújo, Charles, Wendel, Léo Gago e Marcelo Oliveira, os meias Ronny e Rondinelly e os atacantes Leandro e Ananias. Eles equivalem a 38% do grupo.

Muitos deles formaram forte laço de amizade com colegas, e a indefinição do futuro de cada um faz com que nomes garantidos para 2014 lamentando a situação deles. No centro de treinamento, já circularam comentários de que os dirigentes parecem perdidos na elaboração do planejamento pois não adiantaram nem conversas com titulares.

A sensação de alguns atletas é de uma reforma muito maior do que se imagina no plantel que defenderá o clube na próxima temporada, o que significa, também, uma desvalorização do trabalho realizado em 2013, com o acesso garantido a seis rodadas do fim da Série B. Existe o temor de começar, mais uma vez, o ano sem um time montado.

Dos 13 jogadores sem contrato, quem parece mais próximo de ficar são Márcio Araújo e Wendel. O primeiro, embora muito criticado por torcedores, já foi procurado pela diretoria para definir sua renovação, mas as conversas ainda não se concluíram. Wendel, por sua vez, abriu mão até de um aumento salarial para permanecer.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Como Gilson Kleina, 38% do elenco ficará sem contrato em 31 de dezembro e não sabe se continua no clube
Um dos casos que mais gera apreensão é o de Leandro. Artilheiro do time no ano, o atacante está emprestado pelo Grêmio até 31 de dezembro, mas, para ficar por mais uma temporada, basta acertar os salários com o Verdão. O acordo, porém, não tem ocorrido na velocidade que se imaginava, mesmo com a intenção declarada da diretoria em mantê-lo.

Entre outros titulares, André Luiz espera ser comunicado sobre seu futuro e Vilson já deixou clara sua preferência de atuar fora do País, mas tem em seu contrato uma cláusula de prioridade ao Palmeiras, tem pressa para definir onde jogará no ano que vem e segue reclamando de tendinite no joelho esquerdo enquanto a diretoria não define o que deseja.

Bruno, goleiro reserva que trabalha no clube há 17 anos, diz ter feito uma proposta dentro dos padrões do Verdão e espera resposta. Charles e Marcelo Oliveira dependem da negociação com o Cruzeiro e devem ter o desejo de ficar atendidos, diferentemente de Léo Gago e Rondinelly, emprestados pelo Grêmio e que pouco jogaram, dificultando a possibilidade de permanecer.

O lateral esquerdo Fernandinho, o meia Ronny e o atacante Ananias dependem, exclusivamente, da definição da comissão técnica. Como não mostraram o que se esperava, a permanência dos três é considerada improvável.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade