Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Sondado pelo mercado, Muricy dará preferência ao São Paulo

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Não é certo que Muricy Ramalho continuará no São Paulo após dezembro, quando se encerra o contrato feito às pressas para salvar a equipe do rebaixamento. As duas partes manifestam interesse na continuidade do trabalho, contudo a falta de tempo tem adiado a conversa. Enquanto isso, o técnico diz já receber outras sondagens.

"Estou toda hora no mercado. Mesmo empregado, tem muita consulta de dentro e de fora do País, não está sendo diferente agora. Nesse sentido, minha carreira sempre esteve muito bem. É legal, mostra que ainda estou fazendo um bom trabalho", disse, na manhã desta sexta-feira.

A duração do vínculo (firmado no começo de setembro) foi dada pela diretoria como "tempo indeterminado". Não é bem assim. Ficou acordado que, ao fim desta temporada, tanto o clube quanto Muricy poderiam romper o contrato sem grandes custos financeiros para nenhum dos lados. Agora, com o time estabilizado, talvez seja possível reavaliá-lo mais cedo.

"Eu não assinei nada. Vamos esperar. O mais importante, agora, é o time. Estamos em competições importantes. Não sei se essa conversa vai ser agora ou depois, mas é importante cuidar do time, como a gente está fazendo", frisou o treinador, que prometeu dar preferência ao clube.

"Tenho contrato, e meu pensamento é o São Paulo. Vai ser o primeiro clube que vou escutar para minha continuação no ano que vem", garantiu Muricy, que sempre se inclui ao lembrar o passado do time, mesmo se estivesse distante.

"Acho muito chato falar 'eles'. Não gosto dessa coisa de que 'eles erraram', 'eles fizeram isso'. Não é da minha linha ser assim, de apontar erros e trazer para mim só o que é bom. Eu falo 'a gente' mesmo. Eu não estava aqui (no primeiro turno do Campeonato Brasileiro), mas estava sentindo pelos meus amigos. E eu tenho carinho pelo clube", explicou.

A eleição presidencial de abril de 2014 não deve interferir na decisão de Muricy, que tem amigos também na chapa de oposição liderada por Kalil Rocha Abdalla, ex-diretor jurídico da gestão atual.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade