Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Tite cumpre previsão de 2012 ao findar o seu ciclo no Corinthians

Helder Júnior São Paulo (SP)

O técnico Tite já ensaiava a sua saída do Corinthians desde novembro do ano passado. Em uma entrevista concedida à Gazeta Esportiva na época, o gaúcho havia se antecipado em um ano ao presidente Mário Gobbi e previsto que não renovaria o seu contrato ao final desta temporada.

Releia a entrevista de Tite de 2012

Tite fez o prognóstico ao ser questionado se poderia superar Oswaldo Brandão em número de jogos pelo Corinthians, que ainda nem tinha conquistado o bicampeonato mundial no Japão. “A cultura do futebol atual não permite que um técnico fique um longo período em um clube. Estou fugindo aos padrões normais. Mas acredito que mais de três anos de trabalho em um mesmo lugar é muito difícil”, comentara o treinador, na entrevista de 2012.

Próximo de ser substituído por Mano Menezes após fugir aos padrões normais com pouco mais de três anos de Corinthians, Tite não se sentia amargurado quando previu o fim do seu ciclo. “Isso é natural. A relação vai se desgastando. Virão outros profissionais para o Corinthians, melhores em outros momentos. Da mesma maneira que será inevitável para mim, daqui a pouco, sair do clube. Não tenho a cultura do Alex Ferguson (técnico que dirigiu o inglês Manchester United entre 1986 e 2013). O futebol brasileiro não é assim. A gente tem que compreender”, afirmara.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Em conversa com a Gazeta Esportiva em 2012, Tite já indicava que não seguiria no Corinthians em 2014
Até mesmo os próximos passos da carreira de Tite foram vislumbrados na conversa do ano anterior. Assim como faz agora, o técnico descartava se transferir para um clube compatriota logo após o vencimento do seu contrato. “Se for trabalhar em um rival do Corinthians, não será assim que sair daqui. Não vou faltar com respeito à entidade. Portanto, acho muito difícil – ou melhor, impossível – sair do Corinthians e permanecer em São Paulo”, avisara.

Tite não ficará nem sequer no Brasil. Com duas propostas do exterior (uma delas do futebol chinês), ele já rejeitou cinco ofertas de clubes brasileiros para priorizar uma transferência internacional. Admitiu até a possibilidade de não trabalhar no primeiro semestre de 2014 para se dedicar a cursos fora do País.

Defender as cores de Santos, São Paulo ou Palmeiras, contudo, não é uma hipótese definitivamente rechaçada por Tite. Também não era em 2012: “Pode acontecer. Depois de passar dois anos e meio no Grêmio, achava muito difícil ir para o Internacional. Isso só foi acontecer cinco anos depois”.

Apesar de pensar há muito tempo em deixar o Corinthians, Tite já não encara a certeza com tanta tranquilidade. O técnico tem se emocionado publicamente desde que o fim do ciclo foi anunciado por Mário Gobbi. Restam os jogos contra Flamengo, Internacional e Náutico para a sua despedida.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade