Futebol - ( - Atualizado )

Tite elege fracasso com Adriano e morte de Kevin como piores momentos

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Tite concedeu entrevista após o treino de Corinthians na terça-feira e falou sobre alguns momentos de sua segunda passagem pelo clube. A menos de duas semanas da despedida, ele apontou as duas grandes lembranças que não gostaria de ter, entre tantas boas recordações.

“Gostaria de ter ajudado mais na recuperação do Adriano. E não gostaria de ter participado do jogo da morte do menino na Libertadores. São as coisas que não gostaria de ter vivido. O resto são atividades do jogo, mas essas duas eu não gostaria, não”, afirmou o treinador.

A primeira referência é ao centroavante que ficou no time do Parque São Jorge entre 2011 e 2012. Ele fez um gol importante na conquista do Campeonato Brasileiro em 2011, mas nunca entrou em forma, colecionou problemas disciplinares e foi demitido no ano seguinte.

Divulgação/Agência Corinthians
Adriano fez um gol importante e foi um estorvo no restante do tempo (foto: Daniel Augusto Jr. - 26/1/12)
A segunda é ligada a Kevin Beltrán, o garoto de 14 anos que morreu durante a partida entre San José e Corinthians, em Oruro, atingido por um sinalizador que teria partido da torcida alvinegra. Tite e os jogadores foram chamados de assassinos nos jogos subsequentes, algo que claramente incomodou o gaúcho.

“Se eu pudesse voltar e modificar esses momentos, eu mudaria”, disse o treinador, sem propriamente assumir a responsabilidade por eles. “Eu tenho consciência de que fizemos tudo o que era possível. Claro que, se não o fiz, foi porque não tinha a experiência que hoje tenho.”

Entre suas piores recordações, Tite não incluiu a derrota para o Tolima, na fase prévia da Libertadores de 2011, ou o fracasso diante do Boca Juniors na última Libertadores. Essa eliminação, ocorrida com arbitragem histórica de Carlos Amarilla e aplausos da Fiel, faz o técnico sorrir.

“O que aconteceu naquele jogo é um título que vou levar para a minha vida. Foi o reconhecimento mesmo não tendo vencido. Para nós, isso tem uma dimensão maior do que o esporte, maior do que o resultado de vencer ou perder”, disse, sem deixar de admitir um sentimento ruim em relação ao juiz paraguaio.

“O lado ruim da coisa é que ali apareceu um lado bem escuro que eu nunca tive, que eu nunca vi, nunca presenciei. De duas ou três coisas sujas que vivi dentro do esporte, essa está inserida. Três, não. Duas. E, se você me pedir para escolher entre uma delas, será esse jogo”, concluiu Tite.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade