Futebol/Copa do Brasil - ( )

Título com “sabor de batalha” marca volta por cima do Flamengo

Rio de Janeiro (RJ)

Ainda no meio da temporada, o Flamengo entrava na crise. Sem conseguir conquistar o grupo, Mano Menezes foi demitido e Jayme de Almeida, interino, assumiu o comando do clube rubro-negro. A desconfiança pairou sobre a gávea, mas o elenco mudou de atitude, passou a jogar com mais humildade e foi coroado nesta quarta-feira com o título da Copa do Brasil. Diante da torcida, os cariocas derrotaram o Atlético-PR no Maracanã, por 2 a 0, e confirmou uma conquista com “sabor de batalha”.

Assim descreveu o atacante Paulinho, um dos melhores jogadores em campo na decisão. Apesar de não ter marcado, o jogador participou ativamente das jogadas de perigo e foi fundamental para a conquista. Na comemoração, a emoção por ter dado a volta por cima no segundo semestre da temporada não foi escondida.

“Esse título tem sabor de batalha, de luta. Fomos bastante criticados no início, mas todo mundo se uniu e fortalecemos. Então por isso eu chorei bastante agora no final. Tenho que agradecer a todos os meus companheiros. A gente lutou desde o primeiro jogo e está ai o resultado. Eu sabia que ia enfrentar a desconfiança, pois eu vim de um time do interior, mas estava tranquilo”, descreveu o atacante.

Capitão rubro-negro, Leonardo Moura também é um dos mais experientes do atual elenco, mas não conteve o choro após a confirmação do título da Copa do Brasil. O lateral endossou o discurso de Paulinho, também falou sobre a desconfiança que pairou sobre o grupo após a saída de Mano Menezes, e agradeceu a todos os companheiros pela superação.

“A sensação é a melhor possível. No momento que começamos a competição, estávamos desacreditados, mas fomos ganhando confiança. Então tenho que agradecer os meus companheiros. É um grupo, uma família, estou muito feliz de estar conquistando esse título”, revelou o lateral de 35 anos.

Especialista em Copa do Brasil, André Santos chegou a mais uma final, mas admitiu que este título teve um gosto diferente. A possibilidade de calar os críticos em seu retorno à Gávea foi vista com bons olhos pelo lateral. “Fico muito feliz de voltar a vestir essa camisa e conseguir dar a volta por cima. Éramos um time de desacreditados, mas conseguirmos mostrar nosso valor. Chegar à final foi uma prova dessa volta por cima”, completou o jogador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade