Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Torcedores são-paulinos aceitam eliminação de "time de guerreiros"

Tossiro Neto Mogi Mirim (SP)

Apesar de o São Paulo não ter conseguido vencer a Ponte Preta em nenhum dos dois jogos, a torcida não reagiu mal à eliminação na semifinal da Copa Sul-americana, na noite desta quarta-feira. Os pouco mais de mil são-paulinos presentes no Romildão entoaram cânticos de apoio mesmo após o empate por 1 a 1.

Ainda no intervalo, minutos depois de o atacante Leonardo ter aberto o placar em Mogi Mirim - após duas tentativas de arremate -, foi possível ouvir "time de guerreiros", grito muito usado em meio à recuperação no Campeonato Brasileiro. Depois do apito final, com o empate consumado por Luis Fabiano, todos saíram rapidamente, por determinação dos policiais militares.

Em uma situação normal, uma queda como essa talvez resultasse em grandes protestos. Ocorre que a competição continental nem estava inicialmente nos planos do clube, que precisou trazer de volta Muricy Ramalho para se salvar do rebaixamento à segunda divisão nacional com uma arrancada impressionante.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Jogadores foram poupados de críticas ou protestos da torcida, que deixou rapidamente o estádio em Mogi Mirim
Na terça-feira, porém, o treinador havia dito que não concordaria com aplausos da torcida se fosse eliminado pela Ponte, mesmo tendo cumprido o principal objetivo do segundo semestre. "Aplaudir, não, porque você só ganha aplauso quando faz bem as coisas, e nós não fizemos. É claro que o grupo teve uma reação impressionante, mas a gente não tem que estar feliz por isso. Temos que estar aliviados", argumentou.

Mas o comportamento dos torcedores não deve ser o mesmo a partir de agora. Pelo menos não dos dito comuns, que foram poucos nesta noite - a carga de ingressos para visitante ficou com as organizadas. Já ao longo desta temporada, a gestão de Juvenal Juvêncio foi muito criticada, o que deve voltar a ocorrer à medida que as eleições presidenciais de 2014 se aproximam.

O próprio Muricy, mesmo antes de renovar contrato com o clube, tem cobrado com frequência um planejamento decente para o próximo ano. Até o momento, o único reforço contratado foi o lateral direito Luis Ricardo, que deixará a Portuguesa ao final do Brasileiro e vestirá a camisa tricolor em janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade